Bugatti 57SC de 1937 é o Bugatti mais valioso de sempre

No passado fim-de-semana, o Amelia Island Concours d’Elegance recebeu um modelo histórico, vendido pela módica quantia de 8,75 milhões de euros.

Por muita potência ou tecnologia que os carros actuais possam ter, não há nada que substitua os clássicos. Pelo menos foi isto que pensou o novo dono do Bugatti 57SC, um modelo lançado em 1937 e que esteve em exibição na última edição do Amelia Island Concours d’Elegance.

Graças a um motor de V8 DOHC de 3.3 litros, o Bugatti 57SC é capaz de produzir 200 cv de potência às 4.500 rotações. O modelo francês está equipado com uma caixa manual de 4 velocidades e sistema de travagem hidráulico. A carroçaria foi desenhada pela preparadora britânica Vanden Plas, enquanto que o interior, simples e minimalista, encontra-se rigorosamente conservado.

Bugatti 57SC (2)

A NÃO PERDER: Conhece o homem que deu o nome ao Bugatti Chiron

De acordo com a Bonhams, casa de leilões londrina responsável pelo negócio, este é o “mais valioso Bugatti vendido num leilão”. Apesar do valor exorbitante, os 9.73 milhões de dólares (8.75 milhões de euros) ficaram aquém do valor estimado entre os 11 e 13 milhões de dólares. Ainda assim, o valor alcançado pelo Bugatti 57SC ultrapassa largamente os 2.4 milhões de euros da versão de produção do novo Bugatti Chiron… mas daqui a 79 anos voltamos a falar.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter