Regresso da Alpine adiado para 2017

Bernard Ollivier, o actual chefe da Alpine, declarou recentemente que o regresso da marca ocorrerá em 2017 e não no próximo ano como inicialmente previsto. No ar ficou a hipótese de mais adiamentos. Temos três razões para explicar o porquê.

1ª – Concept Celebration relança toda uma marca e nada pode falhar

Ollivier não arrisca a única oportunidade de relançamento da Alpine com a marcação de uma data precisa no calendário. A versão de produção do concept Celebration não é apenas o lançamento de mais um novo modelo, mas sim, cairá nele a responsabilidade de relançar toda uma marca. Nada pode falhar.

Tem de gerar impacto suficiente para relançar e dar a conhecer a marca, pois a Alpine, apesar de uma história rica e cheia de triunfos – foi a primeira marca a ganhar o título de construtores no WRC em 1973 e venceu Le Mans em 1978 -, deve ser desconhecida da maioria do público e arriscamos dizer, até de alguns entusiastas do automóvel.

Alpine_Celebration_concept_2015_6

Os planos para o regresso da histórica Alpine já vem de longe. Desde o início do século que inúmeros rumores e declarações foram publicados na imprensa nesse sentido. Finalmente, em 2012, passos decisivos foram dados, com o anúncio de uma joint venture entre a Renault e a Caterham que desenvolveriam entre ambas um novo desportivo de motor central traseiro e tracção traseira. A narrativa complicou-se em 2014 com o anúncio do fim dessa parceria. Ambas as marcas prosseguiram independentemente do restante desenvolvimento do projecto.

Já este ano ficámos a conhecer o Alpine Celebration, e como o nome deixa antever, serviu de pretexto para celebrar o 60º aniversário da marca. Apresentado em Le Mans, servindo de suporte aos esforços da marca na prova, onde participa na categoria LMP2, reapareceria semanas depois, no Festival de Goodwood, com esquema de cores alternativo. O típico azul associado à marca está presente nas duas iterações. Esta opção cromática dista no tempo, numa época em que a nacionalidade dos construtores era associada a uma cor específica, com a França a ser representada com este profundo tom de azul.

Alpine_Celebration_concept_2015_9

2ª – Concept “soube a pouco”

O concept em si deixa adivinhar o que poderemos ver nas estradas dentro de dois anos. Talvez tímido em demasia para a espectacularidade típica de um concept, como a própria Alpine tão bem o demonstrou com o Alpine Vision Gran Turismo, ou o mais antigo e credível A110-50, o Celebration parece pronto para entrar na linha de produção já amanhã. As imagens que disponibilizamos do registo de patentes parecem-no confirmar.

Fortemente inspirado pelo mais famoso Alpine de todos, o A110 ou Berlinette, o Celebration é um coupé de dois lugares, motor central traseiro e tracção traseira. Não se sabe muito mais acerca das características deste compacto desportivo, mas declarações passadas apontam para valores na ordem dos 250cv de potência e um peso abaixo da tonelada. Os últimos rumores referem que o coração desta máquina será uma evolução do 1.6 Turbo do Renault Clio RS, mas com capacidade elevada a 1.8 litros.

Para um desportivo que promete emoções fortes, o estilo aparenta ser discreto demais, algo carente de emoção. A aproximação excessiva à musa A110, parece datar precocemente o seu estilo, mesmo estando objectivamente bem conseguido e proporcionado. Mas onde está a emoção que nos faz querer um de forma instintiva?

Alpine_Celebration_concept_2015_2

3ª – A pressão da concorrência está muito alta

O futuro desportivo da Alpine terá no Alfa Romeo 4C o seu concorrente mais óbvio, ambos com características semelhantes. Coloque-se um ao lado do outro e percebe-se os preciosos ingredientes visuais em falta no Celebration. O Alfa Romeo 4C tem os genes estilísticos de um supercar, apaixonante e dramático como poucos, capaz de gerar as respostas mais primárias no entusiasta que há em nós. O Alpine parece demasiado composto e racional para provocar uma resposta do mesmo tipo.

Será o estilo do Alpine Celebration uma das razões principais para o adiar do seu lançamento? As declarações de Bernard Ollivier são genéricas mas parecem ir nesse sentido, afirmando que estão a ter em conta as opiniões das pessoas, ou potenciais clientes que têm observado o Celebration, mesmo que o foco destas não seja apenas sobre o estilo do carro. Alterações poderão estar a caminho, com Ollivier a querer que no final, garantidamente, o carro seja mesmo bom.

Infelizmente parece que vamos ter de esperar algum tempo mais até conhecer definitivamente o desportivo que fará regressar a Alpine. Fiquem com as imagens.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos