Rally de Portugal

O último Rally de Portugal antes da Revolução dos Cravos

Recuamos até 1974 para assistir ao último Rally de Portugal em ditadura. As dificuldades logísticas, os intervenientes e ainda um documentário, numa excelente peça histórica da RTP 2.

Em março de 1974, praticamente um mês antes da revolução do 25 de Abril, realizava-se o último Rally de Portugal em ditadura. Um ano em que coube ao nosso país as honras da abertura do campeonato do mundo, por infortúnio de duas provas: o Rally de Monte Carlo e o Rally da Suécia. Ambas canceladas devido à crise petrolífera e ao racionamento de combustível imposto um pouco por toda a Europa.

Mas tal como hoje, há mais de 40 anos a competência da organização do Rally de Portugal já fazia escola. E em grande parte, graças à audácia lusitana de Alfredo César Torres — nome incontornável do desporto automóvel nacional — que conseguiu assegurar o fornecimento de combustível a partir da Venezuela. Resultado? O Rally de Portugal foi um sucesso.

À partida estavam dois «nabiços» nestas andanças, Markku Alén e Walter Röhrl. Dois nomes que haveriam de escrever algumas das páginas mais bonitas do Rally de Portugal nos anos seguintes. Ainda que nesse ano, a prova tivesse sido dominada pelos Fiat 124 Abarth Spider e ganha pelo italiano Raffaele Pinto (na imagem).

VÊ TAMBÉM: Fado, futebol e… Fafe!
Rallye de Portugal, 1974 — Fiat 124 Abarth
1974 – Fiat 124 Spider Abarth Rally – Rafaelle Pinto

A partir do minuto 1:30 ainda podem assistir ao fantástico documentário Sinfonia a 4 Tempos, onde são retratadas algumas das dificuldades logísticas inerentes à organização de um rali na década de 70. Vale a pena!

Mais artigos em Clássicos