Regresso da Peugeot ao Dakar em 2015

O Rally Dakar de 2015 assistirá ao regresso da Peugeot, 25 anos após a sua última participação e vitória, com o 2008 DKR.

Conforme já tínhamos avançado, a Peugeot está mesmo de volta à grande maratona do Dakar! Boas notícias para a prova, que ganha mais um construtor de renome, e para o público, que agora tem mais uma máquina para animar as hostes.

Mas nada melhor que um pouco de contexto histórico para perceber a significância deste anúncio. Em 1986 anunciava-se o fim dos monstros do Grupo B dos campeonatos de Rali. Assim, máquinas brutas e lendárias como o Peugeot 205 T16 ficaram confinadas às páginas da história. Ao contrário, por exemplo da Lancia, a Peugeot acabaria por abandonar a modalidade.

peugeot-205-turbo-16-9

Ao ter um carro ainda com elevado potencial, a Peugeot Sport virou-se para os Rallye Raid. Sem dúvida, o passo mais lógico que poderia ser dado, uma vez que o 205 T16 ainda tinha muito para dar antes da «reforma».

Como desafio supremo teria de conquistar o rali mais duro de todos: o Dakar! E como já era previsível, o 205 T16 Grand Raid tomou o Dakar de assalto. Vencedor absoluto em 1987 e 1988, continuaria a vencer já sob a forma de 405 T16 (efectivamente era um 205 T16, mas com nova carroçaria) em 1989 e 1990, o último ano da participação da Peugeot na prova.

Após estes triunfos, a Peugeot Sport acabaria por atuar nas mais diversas disciplinas, desde as provas de resistência, passando pela Fórmula 1, regressando ao campeonato mundial de Rallyes em 1999 e a Le Mans em 2007.

Peugeot-405-t16-1
Mas seria o regresso, em 2013, a Pikes Peak, com Sebastien Loeb e um voraz 208 T16, a despoletar o regresso da marca francesa ao Dakar. O Peugeot 208 T16 de 208, tinha muito pouco, com o principal dador de hardware a ser, na realidade, o Peugeot 908 que participou em Le Mans.

O 208 T16 e Loeb foram demolidores na conquista da épica montanha, com o recorde da prova a ter sido destruido em mais de minuto e meio. A exposição e cobertura do evento e da marca foram colossais.

Com Pikes Peak conquistado, o que fazer a seguir?
Entra o Dakar em cena. Nos dias que correm, o Dakar já nem passa pela cidade que o batizou. Actualmente, o Dakar decorre no continente sul-americano, desde que a ameaça do terrorismo o fez sair de África em 2008. O cenário pode ter mudado, mas ainda é a lendária prova que todos conhecemos. São à volta de 10 mil quilómetros compactados em 2 semanas nos traçados mais díficeis. O desafio é enorme. A visibilidade e as recompensas são imensas.

peugeot-208-t16-1

Os rumores já corriam faz algum tempo, e agora é oficial. Coincidindo com o 25º aniversário após a sua última vitória na prova, a Peugeot regressará ao Dakar em 2015, através do experiente Carlos Sainz e de Cyril Despres, também veterano da prova, mas aqui a trocar as duas rodas por quatro. A confirmação da participação também permitiu descobrir qual o modelo que a Peugeot usará na prova. Esperava-se uma derivação do 208, mas o teaser apresentado revela uma silhueta de um bastante modificado Peugeot 2008, denominado 2008 DKR.

Com o apoio da Total e da Red Bull, os mesmos parceiros que contribuiram para a conquista de Pikes Peak, este novo projecto promete prolongar-se por alguns anos. Mas o objectivo é claro: mesmo sendo o ano de regresso, só o primeiro lugar interessa.

A Peugeot promete divulgar mais informações sobre o 2008 DKR no salão de Pequim que se inicia a 20 de Abril. Por isso, já sabem, é manterem-se atentos ao Razão Automóvel para todos os detalhes que serão divulgados.