Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Recusavam conduzir um Maybach 57S? Nós não!

Começo por explicar que a Maybach não se tratar de só mais uma marca, a Maybach é o expoente máximo do luxo alemão: produz dos carros mais luxuosos que o dinheiro pode comprar.

Indo direto ao cerne da questão, para obter o mais “barato” e menos “potente” Maybach (o Maybach 57) só precisa de 450 mil euros. Gostas? Não? O problema é o preço? Então também temos o 62S, o rei da marca, por uma módica quantia de 600 mil euros. Que tal? O quê? Preferias comprar uma casa com este dinheiro? Então deixa-me convencer-te. Numa visita à Alemanha, tive o prazer de conduzir e ser conduzido num Maybach 57S, o mais pequeno e potente, com 5,7 metros de cumprimento, motor V12 com 620 cv e 1000 Nm de binário. Sim, eu sei, é simplesmente brutal!

O interior é forrado a pele bege da mais alta qualidade, peles estas provenientes de vacas que pastam em zonas sem arame farpado nem mosquitos, ou seja, vacas com a pele imaculada. Na zona traseira, duas poltronas reclináveis com descanso para os pés, aquecidas e com massagem – o local perfeito para governar calmamente um país – e ainda dá para ao mesmo tempo ser acariciado por belas melodias saídas do sistema de som BOSE. Este Maybach 57S dispõem também de um ecrã por pessoa, telefone e um frigorífico, que no início da viagem tinha duas garrafas de champanhe com dois copos e dois flutes, tudo em prata.

A viagem passou a voar, sentia-me em casa, não existia qualquer ruido parasita, mesmo na autobahn a 260 km/h parecida que estava parado. Só olhando pela janela ou para o manómetro localizado no teto é que sabíamos que não era seguro abrir a porta. O poder que este automóvel nos transmite é absolutamente brutal, tão brutal que quando me entregaram a chave, o preço do combustível baixou (mas só na minha mente). Este feito não é para todos, mas caso tenhas um Maybach parado na garagem, repete este gesto vezes sem conta, vais ver que resulta…

Chave na ignição e V12 ao ralenti, começo a pedir aos deuses para me protegerem até de riscar a pintura milionária. Ouço uma voz rouca alemã a dar-me ordem para arrancar calmamente. E sou conduzido pelo meu GPS humano até uma estrada sinuosa nos arredores de Frankfurt, local ideal para testar a dinâmica do tanque, quase 3 toneladas de puro conforto e performance.

Quando apertava com ele nas curvas mais apertadas, os sistemas de auxílio à condução faziam o seu trabalho, mantendo-o estável e o champanhe dentro dos copos. Não se nota quaisquer irregularidades na estrada, a suspensão é incrível, uma maravilha da tecnologia. Mas é claro, se o levares para zonas impróprias – tipo campo de batatas – és capaz de ficar mal da coluna. E reza para que o dono do campo não lá esteja.

Concluindo, quem é que precisas de uma casa, quando tem todo este luxo num automóvel? Mas aconselho-te a ter um bom fundo de maneio, porque este menino bebe 21 litros aos 100 km. Tão bonito e tão bêbedo… Este automóvel é potente, discreto e cheio de funcionalidades. Seja para um executivo ou seja para um amante do volante, não há maneira de não gostar dele.

Ficaste convencido e interessado? Então fica a saber que já vais tarde… Já não podes comprar nenhum Maybach, porque infelizmente, a Mercedes acusou prejuízo com a Maybach devido a fracas vendas, e em Junho cessou a produção. Sejamos francos, também não existem assim tantos multimilionários a querer viver num automóvel.