Notícias Preço dos combustíveis. Gasóleo está mais caro mas gasolina desceu

Combustíveis

Preço dos combustíveis. Gasóleo está mais caro mas gasolina desceu

Esta semana começa com alguma agitação no preço dos combustíveis, com destaque para um aumento do valor do gasóleo acima da média.

Posto de combustível
© André Mendes / Razão Automóvel

O início desta semana, a 11 de setembro, assistiu à confirmação das previsões que tínhamos adiantado no final da semana passada relacionados com o preço dos combustíveis.

Ou seja, a gasolina teve mesmo uma descida próxima dos dois cêntimos por litro, mas o gasóleo, por outro lado, acabou por subir mais de três cêntimos.

Desta forma, o preço médio da gasolina simples 95 vai-se fixar nos 1,855 €/l e do gasóleo simples em 1,752 €/l.

Estas alterações e a subida de valores a que temos assistido desde julho continua a ser justificada pelo constante aumento do valor do barril de brent, que está atualmente nos 90 dólares. Ou seja, o valor mais elevado desde novembro do ano passado.

De salientar que estes valores partem dos adiantados pela DGEG, (Direção-Geral de Energia e Geologia) da última sexta-feira, 8 de setembro, que já incluem os descontos aplicados pelas gasolinas e as medidas do governo atualmente em vigor.

Como é habitual, estes são valores indicativos e médios de referência e irão diferir dos que vai encontrar nos postos de abastecimento.

Totem de posto de combustível
© André Mendes / Razão Automóvel

Nas gasolineiras, as atualizações de hoje acabam por seguir mais ou menos as previsões indicadas. No caso da Galp, por exemplo, o preço da gasolina desceu 1,5 cêntimos por litro, mas o gasóleo aumentou cinco cêntimos.

Na BP, a gasolina também desceu 1,5 cêntimos por litro, mas o aumento do gasóleo foi de 4,5 cêntimos. A Repsol teve variações ligeiramente mais comedidas, com o gasóleo a aumentar em quatro cêntimos por litro e a gasolina apenas um cêntimo por cada litro abastecido.

Medidas fiscais em vigor

Durante o mês de setembro, as medidas de mitigação do aumento do preço dos combustíveis não tiveram qualquer alteração. Segundo o Ministério das Finanças, esta decisão está relacionada com o escalar dos preços que se tem verificado ao longo das últimas semanas.

Desta forma, e tal como anunciado em comunicado, “face à evolução dos preços dos combustíveis durante o mês de agosto, o Governo mantém inalterada a suspensão parcial da atualização da taxa de adicionamento sobre as emissões de CO2 (taxa de carbono), pelo que – tendo em conta todas as medidas em vigor – a redução dos impostos aplicáveis mantém-se nos 23 cêntimos por litro de gasóleo e nos 25 cêntimos por litro de gasolina.”