Brabus melhora aerodinâmica e autonomia do Mercedes EQS. É este o futuro do tuning?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Tuning

Brabus melhora aerodinâmica e autonomia do Mercedes EQS. É este o futuro do tuning?

A Brabus propõe um pack aerodinâmico em carbono para o Mercedes-Benz EQS que melhoram a aerodinâmica e a… autonomia.

Nem o Mercedes-Benz EQS escapa à Brabus, com a preparadora alemã a apresentar a sua própria visão para a berlina elétrica da marca de Estugarda.

Mas ao contrário do que quase sempre acontece, a Brabus não se focou em aumentar a potência e o binário e por isso este Brabus EQS continua a entregar os mesmos números.

O foco da preparadora germânica foi quase por inteiro para a aerodinâmica do EQS, apesar da berlina elétrica da Mercedes-Benz EQS já ser o modelo de produção com o melhor coeficiente aerodinâmico do mercado, com um Cx de 0,20.

A NÃO PERDER: LOUCURA. Brabus Crawler é um mega-buggy diabólico de 900 cv
Brabus Mercedes-Benz EQS Tuning frente
Na dianteira destaca-se o novo difusor em fibra de carbono, além de, naturalmente, o logótipo da Brabus no lugar da icónica estrela da Mercedes-Benz.

Mas isso nem pareceu sequer um desafio para os técnicos da Brabus, que conseguiram reduzir o baixo valor em mais 7,2%, o que faz com que o Cx deste Brabus EQS seja de apenas 0,186.

Como conseguiram?

Para conseguir esta marca recorde os especialistas da Brabus instalaram um novo difusor à frente e atrás, um spoiler traseiro no topo do portão da bagageira e umas pequenas asas nas saias laterais, tudo em fibra de carbono exposta.

Graças a estas modificações a preparadora com sede em Bottrop, na Alemanha, garante que a sustentação positiva (lift) foi reduzida em 40%, o que permite aumentar a estabilidade em estrada.

Neste pacote de melhorias aerodinâmicas encontramos também um novo módulo que permite descer a suspensão pneumática em 15 mm à frente e 20 mm atrás.

E como seria de esperar, esta última modificação vai muito além da aerodinâmica, uma vez que permite que este EQS fique mais próximo do solo e com uma presença ainda mais marcante, sobretudo quando equipado com as jantes de 20” a 22″ da Brabus.

Quanto à autonomia e apesar de preparadora não avançar com um número definitivo para se perceber o impacto das modificações, disse, contudo, que uma melhoria de 7% na autonomia é expectável a velocidades entre os 100 km/h e os 140 km/h — o EQS 450+ é o modelo usado como referência.

Pegando nesses 7% adicionais, significaria que, por exemplo, a eletricidade que antes gastaríamos para fazer 200 km em autoestrada dariam agora para efetuar mais 14 km, com as modificações da Brabus.

Brabus Mercedes-Benz EQS Tuning perfil
A Brabus reclama um ganho aerodinâmico de 7,2%, o que faz com que o Cx deste Brabus EQS seja apenas 0,186 .

Será este o futuro do tuning na era elétrica?

Este EQS da Brabus não é o primeiro exercício de tuning que vemos num elétrico, mas tem em comum com os outros a ausência de modificações ao nível do motor e baterias (complexo e caro), logo fica-se pelos 245 kW (333 cv) de potência — uma simples reprogramação eletrónica não basta, como acontece nos motores de combustão.

Brabus Mercedes-Benz EQS Tuning frente

O tuning em elétricos tem-se concentrado mais na aparência e suspensão, mas a Brabus dá um novo foco a este tipo de preparações, otimizando a aerodinâmica e, consequentemente, a autonomia.

LEIAM TAMBÉM: Brabus Rocket 900. Um Mercedes-AMG G63 com 900 cv e 1250 Nm

É este o caminho para o tuning na era elétrica? Só o tempo o dirá.

Brabus Mercedes-Benz EQS Tuning traseira

Quanto custa?

A Brabus só revela o preço deste kit de modificações mediante consulta, mas os germânicos da Auto Motor und Sport avançam que este pack aerodinâmico completo, incluíndo as jantes de 22”, custa 36 360 euros.

Sabe responder a esta?
Qual era a cilindrada do Mercedes-Benz E 50 AMG (W210)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Mercedes-Benz E 50 AMG (W210)

Mais artigos em Notícias