Volvo resiste às crises e sucessor do XC90 chega mesmo em 2022

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

Volvo resiste às crises e sucessor do XC90 chega mesmo em 2022

Apesar das crises que afetam a indústria automóvel, a Volvo mantém os planos, inclusive o lançamento do sucessor do XC90.

A Volvo Cars apresentou hoje os resultados financeiros do primeiro trimestre numa conferência à qual a Razão Automóvel pôde assistir e, apesar das crises que afetam a indústria, a marca sueca mantém os planos traçados.

Começando pelos números, o lucro operacional desceu dos 8,4 mil milhões de coroas suecas (cerca de 8 mil milhões de euros) registado no mesmo período em 2021 para 6 mil milhões (5,7 mil milhões de euros).

Quanto às vendas, estas caíram 20%, passando das 185 700 unidades vendidas no primeiro trimestre de 2021 para cerca de 148 300 unidades. Já os modelos com o «selo» Recharge (elétricos e híbridos plug-in) representaram 34% das vendas. Destes, 8% eram modelos totalmente elétricos.

A NÃO PERDER: Testámos o mais potente dos Volvo C40 Recharge (408 cv). Convenceu?
Volvo Concept Recharge

Pandemia continua a fazer-se sentir

Apesar de ter «perdido protagonismo» para o conflito na Ucrânia, a verdade é que a pandemia e a crise dos semicondutores parecem ter afetado mais a Volvo Cars do que os acontecimentos no leste da Europa.

No caso da escassez de semicondutores, apesar de a Volvo Cars afirmar que há sinais positivos que deixam antever melhorias no segundo semestre, a verdade é que nos primeiros três meses do ano esta escassez obrigou a marca sueca a algumas paragens de produção.

Quanto à pandemia, com várias cidades chinesas em confinamento, Björn Annwall, diretor financeiro da Volvo Cars, alertou para os riscos para a indústria caso esta situação se mantenha por muito mais tempo, uma vez que estes confinamentos estão a afetar várias cadeias de abastecimento.

Bjorn Anwall
Björn Annwall, diretor financeiro da Volvo Cars.

Em relação ao conflito na Ucrânia, a Volvo Cars relembrou que desde fevereiro que suspendeu toda a atividade na Rússia, um mercado que correspondia a cerca de 3% das vendas.

Por fim, numa altura em que os construtores alemães temem o fim do abastecimento de gás natural da Rússia, a Volvo Cars ressalvou que as suas fábricas na Suécia e na Bélgica recorrem a biogás, sendo por isso independentes destas cadeias de abastecimento.

LEIAM TAMBÉM: Mobilidade elétrica. “Nunca prometemos que ia ser mais barato”, diz a Managing Director da Volvo Car Portugal

Metas mantêm-se, mesmo com crises

Apesar do cenário de incerteza que afeta a economia, a Volvo Cars continua a ter como meta vender 1,2 milhões de carros em 2025, estando a meta de produção para 2022 nas 900 mil unidades, um número que pressupõe um volume de 225 mil unidades por trimestre.

Além das metas de vendas, a Volvo Cars mantém inalterados os seus planos de lançamentos, sendo o próximo o sucessor do Volvo XC90, um modelo que deverá ser revelado no final de 2022 e que os rumores apontam que se chamará Embla.

Volvo Concept Recharge

Totalmente elétrico, este novo modelo deverá estrear a segunda geração da plataforma SPA. Antecipado pelo protótipo Volvo Concept Recharge revelado em junho do ano passado, o futuro modelo vai assumir novas proporções, ficando a meio caminho entre um SUV e uma carrinha.

Esta decisão prende-se com a necessidade de ter um veículo com menor resistência aerodinâmica, um fator crucial para conseguir veículos elétricos mais eficientes e com maior autonomia.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Volvo 480?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te do Volvo 440? Comemora 30 anos de existência!

Mais artigos em Notícias