Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Tecnologia

“Arena del Futuro”. A pista da Stellantis para carregar elétricos em movimento «sem fios»

Construído em Itália, o circuito "Arena del Futuro" servirá para testar os sistemas de carregamento elétrico por indução dinâmica.

Construído pela concessionária Brebemi (que gere o troço de autoestrada A35 que assegura a ligação entre Brescia e Milão) em colaboração com a Stellantis e outros parceiros, o circuito “Arena del Futuro” apresenta-se como o mais recente investimento da Stellantis no desenvolvimento do futuro dos automóveis elétricos.

Com 1050 m de comprimento, o circuito é alimentado por uma potência elétrica de 1 MW e, graças à tecnologia DWPT (Dynamic Wireless Power Transfer ou transferência dinâmica de energia sem fios), permite o carregamento de automóveis elétricos por indução dinâmica.

Acabado de inaugurar, o circuito localizado numa área privada da A35, já foi percorrido por dois veículos: um Fiat 500 elétrico e um autocarro Iveco E-WAY. Ambos estão preparados para testar este sistema de carregamento sem fios e, segundo a Stellantis, os resultados obtidos nestes testes são “mais do que encorajadores”.

A NÃO PERDER: Atlante. Rede de carregamento rápido da Stellantis vai ter 35 mil postos e chegará a Portugal
Arena del Futuro

Como funciona este sistema?

Através da tecnologia DWPT os automóveis elétricos são carregados quando em movimento, conforme circulam em pistas equipadas com cablagens elétricas, tudo graças a um “sistema de curvas” instalado sob o alcatrão.

De acordo com a Stellantis, esta tecnologia pode ser adaptada a todos os veículos equipados com um “recetor especial” que transfere a energia da infraestrutura rodoviária para a bateria.

Quanto à segurança, essa é assegurada através da conectividade das tecnologias IoT (Internet das Coisas) que permite um “diálogo” permanente entre a via e os veículos que nela circulam. Além disto, toda a superfície da estrada é otimizada para ser mais resistente e não alterar a eficiência e eficácia do carregamento.

Estamos a acelerar o nosso papel na definição da mobilidade do futuro e, neste sentido, a tecnologia DWPT parece-nos estar de acordo com o nosso desejo de oferecer uma resposta concreta às exigências dos clientes. Carregar os veículos enquanto estão em movimento oferece vantagens claras em termos de tempos de carregamento e de dimensão das suas baterias.

Anne-Lise Richard, diretora da unidade de negócios Global e-Mobility da Stellantis

Uma aposta de futuro

O envolvimento da Stelllantis neste projeto está enquadrado na estratégia que o grupo revelou no “EV Day”. Com planos para investir até 2025 mais de 30 mil milhões de euros em eletrificação e no desenvolvimento de software, a Stellantis tenta assim encontrar soluções para um dos maiores “problemas” dos elétricos: a ansiedade da autonomia.

LEIAM TAMBÉM: Carlos Tavares: Custos da eletrificação estão “para lá dos limites” do que a indústria consegue sustentar

Segundo o grupo, o objetivo passa por “oferecer aos clientes não só veículos com a tecnologia mais recente, com grande autonomia e velocidades de carregamento ultrarrápidas, mas também um ecossistema de serviços que possa satisfazer todas as necessidades”.

Acerca deste projeto, Anne-Lise Richard, diretora da unidade de negócios Global e-Mobility da Stellantis, afirmou: “esta é uma solução de vanguarda que dá uma resposta concreta aos desafios de autonomia e de carregamento que preocupam os clientes”.

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do Peugeot 106 Electric?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Este é o Peugeot 106 Electric, o antepassado do e-208

Mais artigos em Notícias