Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Leilão

Está à venda um Mitsubishi Galant AMG Type 1. Sim, leram bem…AMG

Antes de pertencer à Daimler, a AMG era «livre como um passarinho», tendo até colaborado com a Mitsubishi, o que deu origem a este Galant AMG Type 1.

Se são leitores veteranos e assíduos da Razão Automóvel, este Mitsubishi Galant AMG Type 1 não é, de todo, uma surpresa.

Foi há quase 10 anos que fizemos uma peça sobre os «filhos ilegítimos» que a AMG teve com a Mitsubishi (uma curta relação no final da década de 80 do século passado), antes de assumir uma relação exclusiva com a Mercedes-Benz.

Além do Galant AMG que vos falamos aqui, existiu ainda um Mitsubishi Debonair AMG, mas que não era mais do que um kit estético adicionado à berlina. O mesmo não se pode dizer do Galant, que recebeu uma atenção especial da AMG.

VEJAM TAMBÉM: Mitsubishi Ralliart de volta. Regresso à competição no horizonte?
Mitsubishi Galant AMG Type I

A berlina japonesa, aqui com tração dianteira. «escondia» sob o capô o 4G63, código que identifica um motor que ressoa alto em todos os petrolheads: é o mesmo bloco que equipou nove «evoluções» do Mitsubishi Evolution.

Mas, neste caso, o 4GC3 não foi agraciado com um turbocompressor, sendo uma variante naturalmente aspirada do mesmo bloco: de série entregava uns mais modestos 144 cv (na versão GTI-16v) — um valor muito bom para a altura.

Após ter passado pelas mãos da AMG, o bloco de quatro cilindros em linha e 2,0 l de capacidade via a sua potência subir até aos 170 cv, atingidos às 6750 rpm. Para este salto de potência a AMG reviu o sistema de escape e admissão, equipou o 4G63 com pistões de alta compressão, árvore de cames desportiva, molas das válvulas em titânio e reprogramação da ECU. A transmissão às rodas dianteiras era feita através de uma caixa manual de cinco velocidades.

4G63 tuned by AMG

O Mitsubishi Galant AMG Type 1 distinguia-se pelas suas vestes mais desportivas, o tom cinzento escuro da sua carroçaria e pelas jantes em liga leve de 15″ (com pneus 195/60 R15). Como podemos ver nas imagens, exibia com orgulho os emblemas AMG, fosse no para-choques dianteiro ou traseiro e ainda na tampa do motor.

Não há muitos

Estima-se que não tenham sido feitas mais de 500 unidades do Galant AMG, distribuídas por duas versões, Type I (como esta à venda) e Type II, que surgiu mais tarde.

O facto de serem apenas cerca de 500 e de todos terem sido vendidos novos apenas no Japão, faz com que este intrigante casamento nipo-germânico seja bastante desconhecido entre muitos dos entusiastas das quatro rodas.

Mais raro é ver uma unidade à venda, como esta de 1990, que continua a estar registada no Japão, mas encontra-se em Hong Kong, na China.

O odómetro apresenta 125 149 km e, sendo um modelo destinado ao mercado japonês, o volante (também da AMG) está do lado direito. O interior é em pele e, segundo a Collecting Cars, que o está a leiloar, foi novamente estofado em 2018. Vem ainda ricamente equipado para um modelo do final dos anos 80: ar condicionado, vidros elétricos à frente e atrás e retrovisores elétricos.

À data da publicação deste artigo, a licitação mais alta sobre este Mitsubishi Galant AMG Type I é de 11 mil dólares (aprox. 9500 euros), mas ainda faltam mais de 36 horas para o leilão terminar.

Mais artigos em Notícias