Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

As marcas que já desapareceram no século XXI

Neste século já assistimos ao desaparecimento e nascimento de muitas marcas automóveis. Nesta primeira parte recordamos aquelas que já desapareceram.

Não é novidade nenhuma. Desde os primórdios do automóvel que assistimos ao nascimento e morte de inúmeras marcas, uma consequência da própria evolução da indústria. E apesar dos (bem) mais de 100 anos que o automóvel tem, neste séc. XXI não tem sido diferente.

Neste Especial, dividido em duas partes, vamos recordar as marcas que já desapareceram e nasceram neste século, com especial foco nas marcas que tivemos ou temos acesso no nosso mercado. E não deixa de surpreender a quantidade de marcas mencionadas, apesar de só terem ainda passado 20 anos sobre o início deste século.

Para a primeira parte, concentramos a nossa atenção nas marcas que desapareceram, desde nomes históricos na indústria, a outras que poucas saudades deixaram e até as (quase) desconhecidas.

A NÃO PERDER: 11 berlinas executivas que não resistiram aos alemães

Quanto às razões por trás do seu fim, essas são várias. Desde más decisões estratégicas ou de gestão, a produtos que não tiveram o sucesso esperado… há de tudo um pouco. Junte-se uma crise financeira global (que “rebentou” em 2008) e ficaram reunidas as condições para uma “tempestade perfeita” que fez muitas marcas fecharem portas.

Rover (1878-2005)

Rover 75
Totalmente desenvolvido pela Rover, o 75 era a grande esperança da marca britânica, mas não foi suficiente para evitar o seu desaparecimento.

Em constante ebulição desde os tempos da British Leyland, a Rover viu chegar em 2005 a morte há muito anunciada. Depois de em 1994 ter surgido como a grande salvadora da marca britânica, em 2000 a BMW “fartou-se” dos sucessivos prejuízos e vendeu-a por apenas 10 libras ao Phoenix Consortium.

Desde então, e apesar das elevadas ambições, foi uma questão de tempo até a marca que nos deu carros como os P6, SD1 ou o 75 se despedir, sem ter lançado qualquer novo modelo desde que deixou de ser controlada pela BMW (o Streetwise não era mais que um Rover 25 com visual aventureiro).

UMM (1977-2006)

UMM Alter

Em 2006, foi a vez da “nossa” saudosa UMM se despedir definitivamente da indústria automóvel. Há muito num estado de “semi-dormência” — em 2000 foram produzidos os últimos Alter e em 2004 registados os dois últimos exemplares — perante a escassez de encomendas a famosa marca portuguesa retirou-se do setor automóvel de forma definitiva.

LEIAM TAMBÉM: Estas 11 marcas de automóveis são portuguesas. Conheces todas?

Daewoo (1972-2011)

Daewoo Matiz

Nascida em 1972, foi na década de 1990 que a Daewoo Motors se tornou conhecida do público europeu. Primeiro com os algo anónimos Nexia e Espero, mas depois com uma gama mais completa composta por modelos como o Matiz, o Lanos ou o Kalos.

Houve uma altura em que a Daewoo até chegou a conseguir números razoáveis de vendas e uma presença sólida no “velho continente”.

Contudo, a partir de 2005 e já depois de a GM a ter “salvo” em 2002, foi decidido que, na Europa, a Daewoo desse lugar à Chevrolet, mas a marca em si não resistiria muito mais. Em 2011, no “rescaldo” da crise financeira, a GM decidiu fechá-la em 2011, com a Chevrolet a tomar o seu lugar em todos os mercados.

Saab (1945-2012)

Saab 9-5

Ao contrário do desaparecimento da Daewoo, o da Saab foi não só surpreendente como profundamente lamentado na “comunidade petrolhead“. Com um particular foco na segurança, a Saab acabou por ser “vítima” do tropeção da GM (aka, a bancarrota do gigante norte-americano na crise financeira).

Vendida à Spyker em 2010, a marca sueca entrou então numa “espiral” que acabaria por resultar no seu desaparecimento. A Spyker ficaria sem capacidade para cobrir todas as despesas, levando a que a construtora escandinava acabasse mesmo por abrir falência em 2011, com o processo a ficar concluído em 2012.

A NÃO PERDER: Não estão a ver mal. Este Delta é mesmo um Saab-Lancia 600

Desde então o consórcio chinês NEVS (National Electric Vehicle Sweden) adquiriu o que restava da Saab, e até havia planos +ara relançar a marca (vendeu, inclusive, alguns 9-3), mas depressa o projeto caiu por terra. Em 2016, a NEVS anunciava que não pretendia usar o nome da histórica marca escandinava.

As outras

Além destas quatro marcas bem conhecidas por cá, houve mais algumas que desapareceram nos primeiros 20 anos do século XXI. Nesta galeria relembramo-las:

Relembradas as marcas que desapareceram neste início de século — certamente mais perecerão nas próximas décadas —, não percam amanhã o artigo com todas as outras que nasceram desde 2001.

Sabe responder a esta?
Qual destas marcas não teve uma versão do Opel Kadett E?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

As muitas máscaras do Opel Kadett
Em cheio!!
Vá para a próxima pergunta

ou leia o artigo sobre este tema:

As muitas máscaras do Opel Kadett

Mais artigos em Notícias