Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

Autoeuropa volta a parar. Culpem a falta de semicondutores

Dificuldades no fornecimento de semicondutores levam a Autoeuropa a parar a produção. Foram cancelados 95 turnos e "perdidas" 28 860 unidades.

A fábrica da Autoeuropa, em Palmela, iniciou este sábado uma nova paragem de produção devido à crise da escassez de materiais semicondutores que tem afetado a indústria automóvel nos últimos meses.

Estes componentes são fornecidos, quase na íntegra, por fabricantes com unidades de produção montadas na Ásia.

De acordo com a empresa, citada pela Agência Lusa, esta paragem vai prolongar-se “até ao dia 21 de setembro” e vai ter um impacto de “95 turnos cancelados e 28 860 unidades perdidas”.

A NÃO PERDER: Materiais semicondutores. O que são e para que servem?
Volkswagen Autoeuropa

Esta já não é a primeira vez que a fábrica da Autoeuropa, onde é construído o Volkswagen T-Roc, é obrigada a parar face às dificuldades no fornecimento de chips.

Desde o início da pandemia já foram vários os dias em que não se produziram automóveis em Palmela, o que levou a administração da Autoeuropa a anunciar, na passada semana, que pretende recorrer “ao programa de apoio à atividade económica” e garantir o rendimento individual de cada trabalhador.

LEIAM TAMBÉM: Carlos Tavares acredita que a escassez de chips vai continuar em 2022

Recorde-se que a Autoeuropa conta atualmente com mais de 5000 colaboradores, 98% dos quais com vínculo permanente à empresa, e produziu um total de 192 000 automóveis em 2020 e cerca de 20 milhões de peças para outras fábricas do grupo Volkswagen, números que representam 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal e 4,7% das exportações do nosso país.

Mais artigos em Notícias