Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Emissões

União Europeia. Proposta para o fim dos motores de combustão em 2035

A União Europeia vai propor um conjunto de metas de redução de emissões que, para todos os efeitos, banirá o motor de combustão interna a partir de 2035.

A União Europeia prepara-se para apresentar uma proposta de redução de emissões de CO2 (dióxido de carbono) para automóveis novos em 65% para 2030 (muito mais que os 37,5% anunciados em 2018) e 100% em 2035.

É o mesmo que dizer que a partir de 2035 todos os automóveis novos vendidos terão de ser elétricos (sejam a bateria ou pilha de combustível), sem motor de combustão, o que implica também o desaparecimento dos automóveis híbridos plug-in.

Uma meta exigente que se integra no programa geral para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa na União Europeia em 55% até 2030, em relação aos níveis de 1990. E mais um passo para atingir a neutralidade carbónica até 2050, como foi definido no “Green Deal” (Acordo Verde) europeu.

VEJAM TAMBÉM: Grupo Volkswagen “ataca” as emissões dos navios com novo biocombustível
Motor V6 Aston MArtin

“Os automóveis de passageiros são responsáveis, hoje em dia, por 12% do total das emissões de CO2 na União Europeia”

Já foram vários os construtores automóveis que anunciaram a sua conversão total para veículos elétricos a partir de 2030, antecipando esta proposta da UE por cinco anos.

Não são só os automóveis…

…a ser afetados por esta nova proposta de redução das emissões de gases com efeito de estufa; todas as áreas da economia europeia terão metas a cumprir, com as mais desafiantes a estarem na indústria e transportes.

Como exemplo, o mesmo documento, o qual a Bloomberg teve acesso, refere que a quota das renováveis na produção de eletricidade terá de subir para os 40% até 2030, dos atuais 32%.

VEJAM TAMBÉM: Fim da linha para os motores de combustão na Audi chega em 2033

Também entre as medidas a serem propostas, a União Europeia pretende reforçar e expandir o mercado do carbono, rever a taxação da energia para desencorajar o uso de combustíveis fósseis e impor a primeira taxa climática do mundo em certos bens importados de emissões elevadas para a região. 

Não basta reduzir as emissões

Regressando aos automóveis, as metas de redução das emissões de CO2 na União Europeia serão complementadas por exigências adicionais que obrigarão os governos nacionais a reforçar e expandir a sua infraestrutura de postos de carregamento para veículos elétricos.

Por exemplo, nas principais autoestradas terão de ser instalados postos de carregamento a cada 60 km, e ainda postos de abastecimento de hidrogénio que não poderão distar mais do que 150 km entre eles.

O pacote de metas e medidas será apresentado brevemente, a 14 de julho, podendo ainda ser alvo de alterações antes de ser adotado pela Comissão Europeia.

Fonte: Bloomberg.

Mais artigos em Notícias