Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Peugeot 9X8 Hypercar. Já conhecemos a «bomba» da Peugeot Sport para o WEC

A Razão Automóvel esteve no «quartel-general» da Stellantis Motorsport para assistir à revelação do Peugeot 9X8. E entrevistámos Jean-Marc Finot, o responsável máximo pelo programa desportivo da Stellantis.

Em Versalhes, França

O novo Peugeot 9X8 Hypercar assinala o regresso da marca francesa às provas de resistência, 10 anos depois da sua última aparição no Mundial de Resistência (WEC).

Entretanto, muita coisa mudou. Os motores Diesel são uma memória distante, os LMP1 foram extintos e a eletrificação ganhou destaque. Grandes mudanças — que a Peugeot não ignora —, mas que não alteram o essencial: o desejo da marca francesa em regressar às vitórias.

A Razão Automóvel foi até França, às instalações da Stellantis Motorsport, conhecer de perto a equipa e o protótipo que materializam essa vontade.

A NÃO PERDER: Novo Peugeot 508 PSE (360 cv). TRÊS MOTORES no Peugeot de produção mais potente de sempre

Os novos tempos e o Peugeot 9X8 Hypercar

Neste regresso à competição, a marca francesa vai alinhar com um protótipo profundamente distinto dos Peugeot 908 HDI FAP e 908 HYbrid4 que competiram nas temporadas de 2011/12.

Sob a égide dos novos regulamentos «hypercars», que entraram em vigor na presente temporada do WEC, nasceu nas instalações da Stellantis Motorsport o novo Peugeot 9X8.

Peugeot 9X8 Hypercar
O Peugeot 9X8 Hypercar contará com um sistema híbrido que junta um motor 2.6 litros V6 biturbo a um sistema elétrico, para uma potência combinada de 680 cv.

Ao contrário de marcas como a Porsche, Audi e Acura — que optaram pelos LMdH, mais acessíveis que recorrem a plataformas partilhadas — a Peugeot Sport seguiu o caminho da Toyota Gazoo Racing e desenvolveu de raiz um LMH. Ou seja, um protótipo com chassis, motor de combustão e componente elétrica totalmente desenvolvidos pela marca francesa.

peugeot 9x8 hypercar
Segundo os responsáveis da marca, 90% das soluções que encontramos neste modelo vão ser aplicadas na versão final de competição.

Uma decisão que foi muito ponderada — devido ao investimento superior — mas que na ótica dos responsáveis da Stellantis Motorsport é totalmente justificada. “Só com um LMH é que seria possível dar este aspeto ao Peugeot 9X8. Queremos aproximar o nosso protótipo dos modelos de produção. É muito importante para nós que o público reconheça imediatamente o 9X8 como um modelo da marca”, disse-nos Michaël Trouvé, responsável pelo design deste protótipo.

Peugeot 9X8 Hypercar
A secção traseira do Peugeot 9X8 é talvez a mais marcante. Ao contrário do que é habitual não encontramos uma enorme asa traseira. A Peugeot afirma que consegue mesmo sem asa alcançar o downforce permitido pelos regulamentos.
LEIAM TAMBÉM: Kevin Magnussen é um dos pilotos do Hypercar da Peugeot Sport

Peugeot 9X8. Da competição para a produção

A preocupação com o design não foi o único motivo avançado pelos responsáveis da marca francesa para optarem pelos Hypercar da categoria LMH. Olivier Jansonnie, responsável de engenharia da Stellantis Motorsport, referiu à Razão Automóvel a importância do projeto 9X8 para os modelos de produção.

O nosso departamento de engenharia não é estanque. Em breve, muitas das inovações desenvolvidas para o 9X8 poderão ser colocadas ao serviço dos nossos clientes. Esse é um dos principais motivos para termos escolhido um Hypercar LMH.

Olivier Jansonnie, departamento de engenharia Stellantis Motorsport
Peugeot 9X8 Hypercar
Parte da equipa que está a trabalhar no desenvolvimento do Peugeot 9X8.

Porém, não é apenas o programa Peugeot 9X8 que está a beneficiar outros departamentos da marca. Os ensinamentos adquiridos na Fórmula E, através da DS Automobiles, também estão a ajudar a Peugeot a desenvolver o 9X8. “O software que usamos para controlar o motor elétrico e a regeneração do sistema elétrico em travagem é muito similar ao que usamos no nosso programa de Fórmula E”, revelou-nos Olivier Jansonnie.

A NÃO PERDER: Nem 308 GTI, nem 308 PSE. Fim dos “hot hatch” na Peugeot? Parece que sim

Todos (mesmo todos!) os resultados em primeiro

Mais tarde, após o levantar do pano que escondia as formas do Peugeot 9X8, falámos com Jean-Marc Finot, diretor-geral da Stellantis Motorsport, que nos acompanhou nos principais momentos da nossa visita ao seu «quartel-general».

Questionámos este responsável francês sobre os desafios da sua liderança. Afinal de contas, Jean-Marc Finot, reporta diretamente a Carlos Tavares, CEO do Grupo Stellantis. E como sabemos, Carlos Tavares é um aficionado pelo desporto motorizado.

Ter um aficionado pelo desporto motorizado a liderar a Stellantis não nos facilitou a tarefa. Carlos Tavares, tal como a restante equipa da Stellantis Motorsport, mobilizam-se por resultados. Apesar de todos sermos apaixonados por este desporto, no final do dia, o que conta são os resultados: dentro e fora de pista. 

Jean-Marc Finot, diretor-geral da Stellantis Motorsport
Peugeot 9X8 Hypercar

Desde o primeiro dia, o projeto 9X8 esteve sempre sustentado nas projeções e nos resultados que a equipa espera alcançar. Foi por isso no seio da Stellantis Motorsport todos foram chamados a prestar o seu contributo. Dos engenheiros envolvidos na Fórmula E, aos engenheiros do programa de ralis. Jean-Marc Finot confidenciou-nos inclusivamente que até a capacidade cúbica do motor V6 bi-turbo que equipará o 9X8 foi influenciada pelo Citroen C3 WRC.

Optámos por um motor 2.6 litros V6 porque com esta arquitetura podemos aproveitar muito do «know-how» que desenvolvemos para o programa de ralis. Do comportamento térmico à eficiência na gestão do combustível; da fiabilidade à performance do motor.

LEIAM TAMBÉM: Glórias do Passado. Peugeot 405 T16, o especial de homologação (aparentemente)

Prontos para vencer?

Ao contrário do que possamos pensar, a Peugeot não partiu para este novo capítulo no WEC em «branco». Parte alicerçada no conhecimento profundo da Stellantis Motorsport em várias disciplinas, da Fórmula E ao mundial de Ralis, sem esquecer o «know-how» de décadas de envolvimento nas corridas de resistência.

Apesar de haver quem ainda lamenta o fim dos LMP1, os próximos anos afiguram-se muito interessantes no WEC. O regresso da Peugeot à modalidade é um sinal nesse sentido. Um sinal que felizmente está a ser replicado por outras marcas.

Sabe responder a esta?
Qual a velocidade máxima que o WM P88 Peugeot atingiu em 1988 nas 24 Horas de Le Mans?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

WM P88 Peugeot. O «rei da velocidade» nas 24 Horas de Le Mans

Mais artigos em Notícias