Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Novo 765LT Spider é o McLaren descapotável mais potente de sempre

Antes de avançar — a fundo — para a eletrificação, a McLaren resolveu construir o 765LT Spider, o descapotável mais potente da sua história.

A McLaren acaba de apresentar a variante Spider do “balístico” 765LT, que mantém a potência e a agressividade da versão Coupé, mas passa a deixar-nos desfrutar do motor V8 biturbo de 4.0 litros a “céu aberto”.

O tejadilho deste Spider é feito de uma só peça em fibra de carbono e pode ser aberto ou fechado em andamento, desde que a velocidade não ultrapasse os 50 km/h. Este processo dura apenas 11s.

O facto de ser descapotável é, de resto, a maior diferença para o 765LT que já conhecíamos e isso traduz-se em apenas mais 49 kg de peso: a versão Spider pesa 1388 kg (em ordem de marcha) e a Coupé pesa 1339 kg.

A NÃO PERDER: Conduzimos o radical McLaren Elva. Não se esqueçam do capacete
McLaren 765LT Spider

Por comparação com o McLaren 720S Spider, este 765LT descapotável consegue ser 80 kg mais leve. São números impressionantes e que se explicam com o facto de a rigidez da estrutura Monocage II-S em fibra de carbono dispensar qualquer reforço extra nesta versão “a céu aberto”.

E não existindo diferenças consideráveis em termos de massa entre a versão descapotável e a fechada, também não existe um grande contraste ao nível dos registos de aceleração, que são praticamente idênticos: este McLaren 765LT Spider cumpre a aceleração dos 0 aos 100 km/h em 2,8s e atinge os 330 km/h de velocidade máxima, tal como o “irmão” 765LT Coupé.

Nos 0-200 km/h perde apenas 0,2s (7,2s contra 7,0s), até aos 300 km/h demora mais 1,3s (19,3s contra 18s), enquanto o quarto de milha é cumprido em 10s certos contra os 9,9s do coupé.

“Culpem” o V8 biturbo

A “culpa” destes registos é, obviamente, do motor V8 biturbo de 4.0 litros que produz 765 cv de potência (às 7500 rpm) e 800 Nm de binário máximo (às 5500 rpm) e que surge associado a uma caixa automática de dupla embraiagem com sete velocidades que envia a totalidade do binário para o eixo traseiro.

McLaren 765LT Spider
LEIAM TAMBÉM: Máquina infernal. Hennessey levou o McLaren 765LT aos 1014 cv

O 765LT Spider utiliza ainda o Controlo Proativo do Chassis, que usa amortecedores hidráulicos interligados em cada extremidade do carro, dispensando assim o uso de barras estabilizadoras tradicionais, e apresenta-se com jantes de 19” à frente e 20” atrás.

McLaren 765LT Spider

De resto, muito pouco separa esta versão da Coupé, que nós até já tivemos oportunidade de “pilotar” em pista. Continuamos a contar com uma asa traseira ativa, com quatro saídas de escape “montadas” entre os farolins traseiros e com um pacote aerodinâmico muito agressivo que se faz notar em quase todos os painéis da carroçaria.

No habitáculo, tudo na mesma, com a Alcantara e a fibra de carbono exposta a dominarem quase por completo o ambiente. Os bancos opcionais Senna — pesam 3,35 kg cada — são um dos grandes protagonistas.

McLaren 765LT Spider

Quanto custa?

Tal como aconteceu com a versão Coupé, também a produção do 765LT Spider está limitada a apenas 765 unidades, com a McLaren a anunciar que o preço no Reino Unido começa nas 310 500 libras, aproximadamente 363 000 euros.

Sabe responder a esta?
Qual a potência do McLaren Senna GTR?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Testámos o McLaren Senna GTR. Um monstro exclusivo para as pistas

Mais artigos em Notícias