Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Legislação

Condução sob o efeito do álcool. Taxas, coimas e sanções

"Se conduzir não beba" é uma das mais famosas frases direcionadas aos condutores. Mas afinal de contas, quais as taxas de álcool no sangue previstas na lei?

Previstas no Código da Estrada, as taxas de álcool no sangue visam combater aquela que foi, durante largos anos, uma das principais contraordenações nas nossas estradas: a condução sob o efeito do álcool.

Apesar de, segundo a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), entre 2010 e 2019, o número de condutores com uma taxa de álcool superior ao permitido ter diminuído 50%, a verdade é que o mesmo estudo dá conta de que o número de condutores detetados com uma taxa de álcool no sangue equivalente a crime (1,2 g/l) subiu 1%.

Quais são as taxas de álcool no sangue previstas pelo Código da Estrada? Neste artigo damos a conhecê-las a todas e as consequências de se ser “apanhado” com cada uma delas.

A NÃO PERDER: Falta da carta de condução, que sanções se aplicam?

Como é medida?

Descrita como a quantidade de gramas de álcool por litro de sangue, a taxa de álcool no sangue tem a sua medição prevista no Artigo 81.º do Código da Estrada.

Neste pode-se ler: “A conversão dos valores do teor de álcool no ar expirado (TAE) em teor de álcool no sangue (TAS) é baseada no princípio de que 1 mg (miligrama) de álcool por litro de ar expirado é equivalente a 2,3 g (grama) de álcool por litro de sangue”.

A NÃO PERDER: Tudo o que tens de saber acerca da carta de condução por pontos

As taxas previstas

Também no Artigo 81.º estão elencadas as diversas taxas de álcool previstas, existindo taxas “especiais” para os condutores em regime probatório (recém-encartados) e profissionais (taxistas, condutores de pesados de mercadorias e passageiros, de veículos de socorro ou TVDE).

  • Igual ou superior a 0,2 g/l (recém-encartados e condutores profissionais):
    • Contraordenação grave: perda de 3 pontos na carta de condução;
    • Coima: 250 a 1250 euros;
    • Inibição de conduzir: 1 a 12 meses.
  • Igual ou superior a 0,5 g/l (recém-encartados e condutores profissionais):
    • Contraordenação muito grave: perda de 5 pontos na carta de condução;
    • Coima: 500 a 2500 euros;
    • Inibição de conduzir: 2 a 24 meses.
  • Igual ou superior a 0,5 g/l:
    • Contraordenação grave: perda de 3 pontos na carta de condução;
    • Coima: 250 a 1250 euros;
    • Inibição de conduzir: 1 a 12 meses.
  • Igual ou superior a 0,8 g/l:
    • Contraordenação muito grave: perda de 5 pontos na carta de condução;
    • Coima: 500 a 2500 euros;
    • Inibição de conduzir: 2 a 24 meses.
  • Igual ou superior a 1,2 g/l:
    • Crime;
    • Perda de seis pontos na carta;
    • Pena de prisão até 1 ano ou multa até 120 dias;
    • Inibição de conduzir: 3 a 36 meses.

Sabe responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a recorrer a um motor Diesel de injeção direta?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Autopédia