Combustíveis

Portugal. Combustíveis carregados de impostos entre os mais caros da Europa

Com a carga fiscal a corresponder a 60% do preço final dos combustíveis, Portugal tem a quarta gasolina mais cara da Europa.

Se há área na qual Portugal está bem longe da “cauda da Europa”, essa área é a do preço dos combustíveis, com o nosso país a ter uns dos preços mais caros do “Velho Continente”, seja o da gasolina, seja o do gasóleo.

No final de fevereiro o nosso país tinha a quarta gasolina mais cara da Europa, fruto de uma escalada de preços à qual se assiste desde o início de 2021.

De acordo com as contas do Jornal i, este ano a gasolina já aumentou 11 cêntimos, enquanto o gasóleo subiu 9,1 cêntimos. Ou seja, nas primeiras nove semanas do ano o preço da gasolina subiu sempre e o gasóleo não lhe ficou atrás, sendo a única exceção a primeira semana de fevereiro, quando o preço deste combustível caiu. 

VÊ TAMBÉM: Porsche. Combustíveis sintéticos são 100% compatíveis com os motores atuais
Abastecimento
Sempre que abastecemos grande parte do valor que pagamos não corresponde à matéria prima que inserimos no depósito, mas sim a impostos, e a tendência não é de melhoria.

Já se recuarmos até 2020, a subida dos preços faz-se sentir há já 17 semanas consecutivas (!), sendo a única exceção a tal descida do preço do gasóleo.

Porque pagamos tanto?

Como bem sabes, o valor que pagas pelo litro de combustível depende de vários fatores. Alguns deles são independentes do nosso país e prendem-se com a cotação do petróleo (com o barril do Brent como referência).

Além disto, a tua fatura de combustível conta ainda com os custos fixos de armazenamento e distribuição de combustível e com o valor da incorporação dos biocombustíveis (cuja percentagem surge discriminada na fatura que recebes quando abasteces).

No entanto, é a “fatia do Estado” (aka carga fiscal) que faz com que o preço dos combustíveis em Portugal se aproxime dos mais elevados praticados na Europa (e se afaste bastante, por exemplo, dos praticados em Espanha).

Os impostos sobre os combustíveis têm um peso de 60% no preço de venda final ao público, o que significa que por cada 100 euros que gastas em gasolina 60 euros vão diretamente para o Estado.

Além do tradicional IVA (Imposto de Valor Acrescentado) os combustíveis veem aplicados sobre si o Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP), razão pela qual o seu preço comporta 60% de impostos.

VÊ TAMBÉM: Este gasóleo renovável promete fazer a «vida negra» aos elétricos

Como estamos face à Europa?

Segundo os dados publicado pela Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE), no dia 22 de fevereiro de 2021, em Portugal a gasolina 95 custava, em média,1,541 €/l, já o gasóleo simples custava 1,386 €/l.

Nesse mesmo período, em toda a União Europeia e contando com a Suíça e o Reino Unido, só Países Baixos, a Dinamarca  e a Grécia tinham a gasolina mais cara que Portugal. Nos Países Baixos esta ascendia aos 1,674 €/l, na Dinamarca aos 1,575 €/l e na Grécia aos 1,557 €/l.

Já países como a França (1,470 €/l), a Alemanha (1,351 €/l), o Reino Unido (1,417 €/l), a Espanha (1,269 €/l) ou até o Luxemburgo (1,222 €/l) e a Suíça (1,349 €/l) tinham, todos eles, a gasolina mais barata que por cá.

Por fim, até o preço do gás engarrafado em Portugal é também mais elevado que noutros países europeus, com a garrafa a custar 26 euros em Portugal, enquanto aqui ao lado em Espanha fica-se pelos 13 euros.

Fonte: Jornal i.

Sabe responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a recorrer a um motor Diesel de injeção direta?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Notícias