Fotos-espia

Novo Mercedes-AMG C 63, o híbrido plug-in, já foi apanhado em testes

Após a confirmação de que o futuro Mercedes-AMG C 63 deixará de ter um V8, a nova proposta híbrida plug-in deixa-se "apanhar" nestas fotos-espia.

Já aqui nos debruçámos em detalhe sobre o que esperar do novo Mercedes-AMG C 63 que, resumidamente, prescindirá do seu carismático V8 e ganhará uma motorização híbrida plug-in, combinando um quatro cilindros em linha com um motor elétrico, e estreará ainda a tração às quatro rodas.

Agora obtivemos as primeiras fotos-espia do modelo nos habituais testes de inverno, com a musculada berlina alemã a surgir ainda bastante camuflada.

Mesmo assim é possível detetar a típica grelha Panamericana que adorna os modelos com a chancela AMG, as quatro saídas de escape e ainda rodas e discos de travão bastante generosos nas suas dimensões. Não há dúvidas sobre que modelo se trata.

TUDO SOBRE: Mercedes-AMG C 63. O que esperar do novo 4 cilindros híbrido plug-in?
Mercedes-AMG C 63 fotos-espia © Razão Automóvel

O que não conseguimos identificar são os estranhos apêndices que parecem sair do capô perto da base do para-brisas. O que serão? Algum tipo de equipamento de teste relacionado com a suspensão? Deixem as vossas sugestões…

Nova era em Affalterbach

Temos de admitir que o choque ainda é grande em relação à decisão da AMG em prescindir do V8 biturbo que marcou a última geração do C 63 — o V8 tem sido presença assídua por baixo do capô do Classe C desde a primeira geração —, surgindo no seu lugar um quatro cilindros em linha conjugado com um motor elétrico.

Já aqui explicámos o porquê de também não terem recorrido ao novo seis cilindros em linha da marca da estrela para tomar o lugar do V8, mas passar para um quatro cilindros — mesmo sendo o M 139, o mesmo que equipa o A 45 e A 45 S — parece ser um passo bastante radical.

Apesar do downsizing abrupto — metade dos cilindros e metade da cilindrada —, não é de esperar que o novo Mercedes-AMG C 63 venha com menos “músculo” que o modelo atual. Os rumores apontam para que a versão mais potente, a C 63 S, atinja algo como 550 cv.

Uma forma de também compensar o lastro adicional da parte elétrica e da tração às quatro rodas. Mesmo assim, tudo aponta para que este “monstro” tecnológico acuse muito perto de 2000 kg quando for revelado. Quase 200 kg a mais que o seu arquirrival BMW M3 Competition recentemente apresentado, que de leve também tem muito pouco — diferença que será reduzida quando chegar a inédita versão de quatro rodas motrizes do M3.

O novo Mercedes-AMG C 63 deverá ser conhecido ainda este ano, mas prevê-se que a sua comercialização aconteça apenas no início de 2022.

Mais artigos em Notícias