Apresentação

Renault Kiger: primeiro para a Índia, depois para o mundo

Destinado, para já, ao mercado indiano, o Renault Kiger deverá chegar depois a outros mercados internacionais. Neste artigo podes ficar a conhecê-lo melhor.

A gama da Renault na Índia continua a crescer e depois de, há cerca de dois anos, ter lançado por lá o Triber, a marca gaulesa deu agora a conhecer o Renault Kiger.

A grande diferença entre os dois modelos, para lá dos sete lugares do Triber, é que enquanto o primeiro se destina exclusivamente ao mercado indiano, o segundo surge com uma promessa: chegar aos mercados internacionais.

No entanto, essa promessa traz consigo algumas dúvidas. Primeiro, a que mercados internacionais é que o Kiger vai chegar? Chegará à Europa? Caso tal aconteça, como se irá posicionar na gama da Renault? Ou será que vai acabar por se tornar num Dacia como aconteceu com o Renault K-ZE que conheceremos na Europa como Dacia Spring?

VÊ TAMBÉM: Regresso às origens. O novo Renault 5 vai ser produzido na mesma fábrica do original

Pequeno por fora, grande por dentro

Com 3,99 m de comprimento, 1,75 m de largura, 1,6 m de altura e 2,5 m de distância entre eixos, o Kiger é mais pequeno que o Captur (4,23 m de comprimento; 1,79 m de largura, 1,58 m de altura e 2,64 m de distância entre eixos).

Apesar disso, o novo SUV gaulês oferece uma bagageira generosa com 405 litros de capacidade (a do Captur varia entre os 422 e os 536 litros) e cotas referenciais no sub-segmento dos SUV urbanos.

Senão vejamos: à frente o Kiger oferece a melhor distância entre bancos do segmento (710 mm) e na traseira o maior espaço para as pernas (222 mm entre o banco traseiro e dianteiro) e para os cotovelos (1431 mm) do segmento.

RIVAL? Hyundai Bayon. Vem aí um “irmão mais novo” para o Kauai

Nitidamente Renault

Esteticamente, o Renault Kiger não esconde que é um… Renault. Na dianteira vemos uma grelha típica da Renault, e os faróis trazem à memória os do K-ZE. Já na traseira a identidade Renault é inequívoca. Os “culpados”? Os faróis em formato de “C” que já se tornaram numa facilmente reconhecida imagem de marca do construtor gaulês.

Quanto ao interior, apesar de não seguir a linguagem estilística em voga em modelos como o Clio ou o Captur, apresenta-se com soluções tipicamente europeias. Desta forma, temos um ecrã central com 8” compatível com Apple CarPlay e Android Auto; entradas USB e contamos ainda com um ecrã de 7” a cumprir o papel de painel de instrumentos.

VÊ TAMBÉM: Bigster Concept antecipa a entrada da Dacia no segmento C

E a mecânica?

Desenvolvido com base na plataforma CMFA+ (a mesma do Triber), o Kiger apresenta-se com duas motorizações, ambas com 1.0 l e três cilindros.

A primeira, sem turbo, debita 72 cv e 96 Nm às 3500 rpm. Já a segunda consiste no mesmo 1.0 l turbo de três cilindros que já conhecemos do Clio e Captur. Com 100 cv e 160 Nm às 3200 rpm, este motor estará inicialmente associado a uma caixa manual de cinco relações. Para mais tarde está prevista a chegada de uma caixa CVT.

Já comum a qualquer uma das caixas é o sistema “MULTI-SENSE”, que permite escolher três modos de condução — Normal, Eco e Sport — que alteram a resposta do motor e a sensibilidade da direção.

Para já, ainda não sabemos se o Renault Kiger chegará à Europa. Posto isto, deixamos-te a pergunta: gostavas de o ver por cá?

Mais artigos em Notícias