Desporto Automóvel

Morreu Hubert Auriol, um dos “Senhores do Dakar”

Primeiro piloto a conquistar o Dakar em duas e quatro rodas e mais tarde diretor da famosa prova, Hubert Auriol faleceu aos 68 anos.

Há alguns nomes que são indissociáveis do Rali Dakar e um deles é, sem dúvida, o de Hubert Auriol que faleceu hoje, aos 68 anos, curiosamente, ao mesmo tempo que se disputa a prova onde se celebrizou.

Nascido na Etiópia em 1952 mas com nacionalidade francesa, era carinhosamente apelidado no mundo das provas de todo o terreno como “O Africano”. Em 1981, aos comandos de uma BMW R80G/S roubou a hegemonia ao compatriota Cyril Neveu e ofereceu a primeira vitória à BMW na prova. Em 1983 voltou a vencer a prova aos comandos da R80G/S, batendo novamente Neveu e oferecendo a primeira de três vitórias consecutivas nas duas rodas à marca alemã.

Em 1987 participou pela última vez no Dakar aos comandos de uma mota, sofrendo um violento acidente. Ainda assim, nesse ano, acompanhado pelo piloto de Fórmula 1 Henry Pescarolo bateu o recorde da volta ao mundo em avião de hélices, cumprindo a façanha em 88 horas e 49 minutos.

VÊ TAMBÉM: 12 carros que ninguém esperava ver no Rali Dakar
BMW R80 G/S
Foi aos comandos de uma BMW R80G/S parecida com esta que Hubert Auriol venceu o Dakar em 1981 e 1983.

Nos anos 1990 decidiu “tentar a sorte” na categoria dos automóveis e em 1992, aos comandos de um Mitsubishi Pajero Evolution, tornou-se no primeiro piloto a vencer o Dakar em duas e quatro rodas. Pelo caminho, pôs um fim à hegemonia de Ari Vatanen, que tinha vencido a prova na categoria dos automóveis por três anos consecutivos.

Novos desafios

Conhecedor profundo da maior prova de todo o terreno do mundo, entre 1995 e 2004, ao serviço da Amaury Sports Organization (ASO), Hubert Auriol acabou por integrar a organização da prova, assumindo as funções de diretor.

Além de ter integrado a organização do Dakar, Auriol acabou por também ser responsável pela organização de outras provas de todo o terreno, nomeadamente o China Gran Rally e aquela que acabaria por se apresentar como a “concorrente” do Dakar quando este abandonou o continente africano em 2008: a Africa Eco Race.

Além do desporto automóvel, também ficou conhecido em França como o apresentador do programa “Koh-Lanta”, a versão francesa do “Survivor”. Em declarações à agência noticiosa AFP, a família de Hubert Auriol afirmou que o seu falecimento aos 68 anos deveu-se a “um acidente cardiovascular, na sequência de um longo combate contra uma doença”.

A Razão Automóvel gostaria de transmitir as condolências à família, amigos e a todos os fãs de Hubert Auriol, aproveitando para relembrar uma frase célebre da sua autobiografia publicada em 2019: “Se é impossível, deve ser interessante”.

Sabe responder a esta?
Em que ano é que o DAF Turbo Twin II venceu uma etapa aos automóveis no Rali Dakar?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

DAF Turbo Twin: o «supercamião» que queria vencer o Dakar à geral

Mais artigos em Notícias