Recorde?

Será que fomos enganados? SSC Tuatara é ou não o carro mais rápido do mundo?

O SSC Tuatara foi declarado o carro mais rápido do mundo, mas será que o é mesmo? O conhecido canal Shmee150 desmonta o vídeo oficial do recorde e deixa muitas dúvidas no ar.

532,93 km/h registados como velocidade de pico e 517,16 km/h de média nas duas passagens garantiram ao SSC Tuatara o título de carro mais rápido do mundo. Números que obliteraram os recordes alcançados pelo Koenigsegg Agera RS (457,49 km/h de pico, 446,97 km/h de média) em 2017 na mesma autoestrada 160 em Las Vegas.

Mas será que foi mesmo assim?

O conhecido canal de YouTube Shmee150, de Tim Burton, publicou um vídeo (em inglês) onde desmonta ao detalhe, e com muitos aspetos técnicos, o alegado recorde da SSC North America e coloca sérias dúvidas sobre o feito declarado:

VÊ TAMBÉM: SSC Tuatara. O carro mais rápido do mundo vai ter um “irmão mais pequeno”

O que Shmee diz?

Tim, ou Shmee, analisou ao detalhe o vídeo oficial do recorde publicado pela SSC North America e as contas simplesmente não batem certo…

Comecemos pela autoestrada 160 em si, onde se encontra a enorme reta que permite atingir estas elevadas velocidades. Os dois sentidos de circulação da autoestrada estão fisicamente separados por uma secção em terra, mas existem pontos de ligação asfaltados ao longo do percurso que unem as duas faixas.

Shmee usa essas passagens (três no total) como pontos de referência, e ao saber a distância entre eles e quanto tempo demorou o SSC Tuatara a percorrê-los (de acordo com o vídeo da SSC North America), consegue calcular assim a velocidade média entre eles.

carro mais rápido do mundo

Indo aos números que interessam, entre a primeira e a segunda passagem distam 1,81 km de distância, que o Tuatara percorreu em 22,64s, o que equivale uma velocidade média de 289,2 km/h. Até aqui tudo bem, mas só tem um problema. No vídeo, que mostra a velocidade a que o Tuatara se desloca, vêmo-lo passar pela primeira passagem a 309 km/h e a chegar à segunda passagem a 494 km/h — como é que a velocidade média é inferior à velocidade mais baixa registrada? É uma impossibilidade matemática.

O mesmo acontece quando analisamos os 2,28 km de distância entre a segunda e terceira passagem que o Tuatara percorreu em 24,4s (após descontado os 3,82s em que o vídeo é parado para “fixar” os 532,93 km/h alcançados), o que daria uma velocidade média de 337,1 km/h. Mais uma vez, as contas não batem certo, pois a velocidade de entrada é de 494 km/h e a velocidade de saída (já em desaceleração) é de 389,4 km/h. A velocidade média teria de ser superior e/ou o tempo que demorou a percorrer essa distância teria de ser inferior.

Colocando “mais sal na ferida”, Shmee também recorre a um vídeo comparativo entre o SSC Tuatara e do Koenigsegg Agera RS nas mesmas passagens e, pasme-se, o Agera RS fá-lo em menos tempo do que o Tuatara, apesar de a velocidade que vemos no vídeo mostrar que o hiperdesportivo norte-americano vai bem mais rápido. Algo que podemos confirmar neste próximo vídeo, publicado pela própria Koenigsegg:

Shmee refere mais evidências que colocam em causa o recorde obtido, como o facto do velocímetro do SSC Tuatara estar desfocado no vídeo oficial. Ele foi ainda mais minucioso, quando chega a calcular a velocidade máxima obtida em cada relação. O recorde é obtido em 6ª, o que torna impossível de obter os mais de 500 km/h que vemos no vídeo, pois a velocidade máxima do Tuatara nesta relação é de “apenas” 473 km/h — o Tuatara tem sete velocidades.

VÊ TAMBÉM: Qual a velocidade máxima do Koenigsegg Jesko Absolut? “Mais, bem mais do que 500 km/h”

O recorde ainda não foi certificado

Há um outro detalhe importante. Apesar da SSC North America ter efetuado este desafio de acordo com os requisitos do Guiness World Records, facto é que nenhum representante da instituição esteve presente para certificar oficialmente o recorde, ao contrário do que aconteceu quando o Agera RS o fez em 2017.

Shmee acumula uma série de evidências que colocam em causa a obtenção deste recorde de carro mais rápido do mundo. Falta agora “ouvir” a SSC North America e também a Dewetron, a empresa que forneceu e fez os instrumentos de medição por GPS que determinaram a velocidade alcançada pelo Tuatara.

Atualização a 29 de outubro de 2020 às 16:11 — a SSC North America emitiu um comunicado sobre as dúvidas que surgiram em relação ao vídeo do recorde. 

Mais artigos em Notícias