Dia da Mãe

Quase 50 anos depois. O Porsche Carrera 6 regressou a Campo de Ourique

Dia 3 de Maio de 2020. Um dia que ficará para sempre na memória dos moradores mais antigos do Bairro de Campo de Ourique. O Porsche Carrera 6 de Américo Nunes voltou!

Um despertador diferente. Na década de 70, os moradores do bairro lisboeta de Campo de Ourique tinham uma rotina matinal diferente do resto da cidade. Em Campo de Ourique os despertadores não faziam falta.

No pacato bairro de Campo de Ourique, a alvorada matinal ficava a cargo de Américo Nunes, o «Senhor dos Porsche», nove vezes campeão nacional de ralis e velocidade.

Todos os dias, à mesma hora, Américo Nunes acordava a vizinhança com o troar dos motores Porsche.

Era assim todos os dias. Pouco depois das 6:30 da manhã, com a precisão de um relógio, Américo Nunes ligava o motor do seu Porsche.

Um desses carros era o Porsche Carrera 6 (nas imagens). ©Thom V. Esveld / SportClasse

Era o som emanado pelos escapes dos seus carros de competição — que também eram os seus carros de dia-a-dia — que davam a alvorada nos quarteirões vizinhos.

Um despertar diferente que ainda hoje os habitantes mais antigos deste bairro recordam com saudade.

Um regresso ao passado

Quase 50 anos depois, as ruas do bairro de Campo de Ourique voltaram a troar com o som de um motor Porsche.

André Nunes, neto de Américo Nunes, decidiu levar o Porsche Carrera 6 até à porta da casa da sua avó para assinalar o Dia da Mãe. Um projeto de restauro levado a cabo por si e pelo seu pai, Jorge Nunes, filho de Américo Nunes, ao longo de mais de 5 anos.

À esquerda, André Nunes, à direita, Jorge Nunes. Os dois responsáveis pela Sportclasse, um «Santuário Porsche» escondido no centro de Lisboa.

No total, o Porsche Carrera 6 que repousa todos os dias na Rua Maria Pia, percorreu menos de 50 metros, desde o camião reboque que o levou, até a porta do prédio onde vivia Américo Nunes.

Uma distância curta, mas ainda assim mais que suficiente, para toda a vizinhança vir à janela ouvir novamente aquele som tão familiar.

Naquele momento percebi que a memória de Américo Nunes ainda está bem viva, não só no coração dos apaixonados pelo desporto motorizado, mas também no coração de Lisboa.

Apesar do momento ter sido breve, houve quem mesmo à distância de uma janela não conseguisse conter a emoção. “Lembro-me muito bem do Sr. Américo, um senhor sempre muito educado. Dizia ao meu marido «está na hora de acordar» sempre que ouvia o barulho destas «bombas»”, recordou-nos uma moradora do bairro, que fez questão de acompanhar tudo a partir da janela do 2º andar.

Não são apenas carros

Foi cá em baixo, no rés-do-chão do prédio oposto, que aconteceu o momento mais marcante. Quase 50 anos depois, o Porsche Carrera 6 voltou a parar em Campo de Ourique.

Do seu volante saiu André Nunes sob o olhar incrédulo da sua avó que o esperava à janela. Porquê hoje? Foi esta a forma que André Nunes encontrou de homenagear a sua avó e de assinalar o Dia da Mãe.

Américo Nunes
A história voltou a repetir-se. 48 anos depois Campo de Ourique voltou a ter um Porsche Carrera 6 parado na rua. ©Thom V. Esveld / SportClasse

Era nesta exata rua, daquela exata janela que todos os dias a esposa de Américo Nunes, via o seu marido chegar, ora do trabalho, ora de uma corrida. E era ali, à vista de todos, fizesse chuva ou sol, que repousava o Porsche Carrera 6 até à próxima corrida.

Pude testemunhar que Campo de Ourique ainda se lembrava deste «vizinho amarelo». Deste e de tantos outros que ostentavam orgulhosamente os autocolantes dos patrocinadores e as mazelas de um fim-de-semana de corridas.

Hoje não foi Américo Nunes que saiu do carro, foi o seu neto. Na mão, André Nunes não trazia nenhum troféu, trazia algo mais valioso: muitas memórias e um abraço apertado.

Sobre as palavras que se seguiram, entre avó e neto, não vou escrever. Fico-me pelas gargalhadas que ouvi da vizinhança, pelos olhares que presenciei, e pela certeza que os carros são muito mais que meros objetos.

©Thom V. Esveld / SportClasse

É por causa de reações como estas que Jorge Nunes e André Nunes não têm intenções de dar descanso ao Porsche Carrera 6. A Sportclasse tem um ambicioso programa de presenças planeado para este histórico clássico de competição.

Como nos confidenciou André Nunes, “nós restaurámos o Carrera 6 para ser partilhado”. A nós, amantes de automóveis, só nos resta agradecer às três gerações da família Nunes e à SportClasse esta dedicação que já conta com mais de meio século de história.

A melhor parte disto tudo? A história continua…

 

 

 

 

 

 

Mais artigos em Notícias