Segurança Rodoviária

5 estrelas mais difíceis? Protocolos de testes do Euro NCAP mais exigentes

Se os protocolos de testes do Euro NCAP já se destacavam pela sua exigência, a partir deste ano o serão ainda mais. O que mudou?

Desde que surgiram nos anos 90 que os protocolos de testes do Euro NCAP tornaram-se a referência absoluta para o mercado sobre o quão seguros são os automóveis que conduzimos.

No entanto, não deixa de ser curioso que para efeitos de homologação legal de um veículo o seu valor seja nulo. A União Europeia tem os seus próprios protocolos de testes e são esses que os construtores têm de obrigatoriamente cumprir.

Independentemente disso, a importância do Euro NCAP é incontestável. Os seus testes foram, e são, fundamentais para incrementar a segurança dos veículos que conduzimos. As cinco estrelas Euro NCAP tornaram-se na forma mais rápida de perceber o quão seguro é um veículo, como tornaram-se igualmente numa valiosa arma dos departamentos de marketing.

VÊ TAMBÉM: Euro NCAP “destruiu” 55 modelos em 2019 em nome da segurança

São as repercussões dos testes que mostram o quão os testes Euro NCAP são poderosos. Vemos isso quando um construtor vê-se “obrigado” a rever aspetos relacionados com a segurança dos seus veículos, seja na oferta de mais equipamentos de segurança de série, até à reformulação de partes do veículo em si.

Os testes em si também têm crescido em número e exigência. Os protocolos de testes têm sido revistos de dois em dois anos, e assim sendo, este ano serão introduzidas revisões e novidades em todas as áreas de avaliação: proteção durante uma colisão, sistemas para evitar a colisão, e pós-colisão.

As novidades dos protocolos de testes da Euro NCAP

Uma das principais novidades passa pela introdução de uma nova barreira de deformação progressiva móvel (MPDB) — substitui a anterior barreira deformável, em serviço nos últimos 23 anos —  para os testes de colisão frontal, ainda o tipo de colisão que mais vítimas mortais gera.

Euro NCAP nova barreira deformável

Tanto o veículo a ser testado como a barreira móvel (montada num trolley de 1400 kg), deslocam-se um em direção ao outro a 50 km/h até colidirem, com uma sobreposição frontal de 50%. A barreira simula a frente de outro veículo, tornando-se progressivamente mais rígida quanto mais é deformada.

Também o crash test dummy (manequim usado nos testes que simula um ser humano) é novo. O THOR (sem brincadeira), acrónimo para Test device for Human Occupant Restraint, considerado o mais avançado crash test dummy atual, passa a fazer parte dos novos protocolos de testes do Euro NCAP.

As colisões laterais são as segundas mais mortais, pelo que a Euro NCAP incrementou a severidade deste teste, alterando as variáveis velocidade de embate e massa da barreira. A novidade passa pela avaliação da proteção do segundo passageiro dianteiro e, sobretudo, da interação entre condutor e passageiro neste tipo de colisão — será colocada à prova a eficácia dos novos airbags centrais dianteiros.

Airbag Honda Jazz
Honda Jazz é um dos primeiros modelos a introduzir um airbag central dianteiro

No campo da segurança ativa, a Euro NCAP introduzirá testes mais exigentes aos assistentes à condução, nomeadamente, à travagem autónoma de emergência e na sua eficácia na proteção não só dos ocupantes do veículo como também dos utilizadores mais vulneráveis, como peões e ciclistas. Os protocolos de testes da Euro NCAP passarão também a avaliar os sistemas de deteção de fatiga e distração do condutor.

VÊ TAMBÉM: Entregas suspensas dos novos Golf e Octavia. Culpem os “bugs” de software

Por fim, a Euro NCAP vai avaliar o pós-colisão, ou seja, tudo o que envolva a ação das equipas de socorro — desde o sistema eCall (que permite chamar automaticamente os serviços de urgência), à facilidade com que as equipas de desencarceramento retiram os ocupantes de um veículo, ao funcionamento dos manípulos elétricos das portas. Os construtores receberão pontos extra sobre a precisão e acessibilidade da informação necessária a dar às forças de emergência.

eCall Skoda Octavia

Compatibilidade cinco estrelas

Obviamente que um veículo que tenha cinco estrelas atualmente não será o mesmo que um veículo com cinco estrelas avaliado de acordo com estes critérios mais exigentes.

Obter as cinco estrelas a partir deste ano ficará mais difícil, pois o nível de exigência em todas as áreas de avaliação subiu. Ou seja, é muito provável que veículos que sejam hoje cinco estrelas não o fossem caso tivessem de ser retestados de acordo com os novos protocolos de testes.

A pandemia do Covid-19 também afetou o calendário de testes a novos veículos. Os novos protocolos de testes da Euro NCAP serão colocados em prática brevemente, mas só conheceremos os primeiros resultados a seguir ao verão.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Mais artigos em Notícias