Indústria

Como a Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi irá cooperar no futuro

A Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi vai adotar um novo modelo de cooperação entre as três marcas a que chamou de leader-follower (líder-seguidor).

A Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi apresentou o esquema leader-follower (líder-seguidor), um conjunto de medidas estratégicas que visa maximizar a competitividade e rentabilidade das três empresas, melhorando a eficiência através da partilha de produção e desenvolvimento.

O sistema leader-follower vai centrar-se, por exemplo, na redução dos investimentos por modelo em 40%. De acordo com a Aliança, as empresas vão, por outro lado, cooperar no objetivo de reforçar a estratégia de standardização.

Jean-Dominique Senard, presidente do Conselho de Administração da Aliança e da Renault, disse que o novo modelo de negócio da Aliança vai permitir “retirar todo o potencial e capacidades de cada uma das empresas, respeitando a sua cultura e legado”.

VÊ TAMBÉM: Mégane (afinal) fica, mas há vários Renault que não terão sucessor
Renault Captur © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Em que consiste o esquema leader-follower?

Para cada segmento serão determinados um modelo “líder” e um modelo “seguidor”, que serão desenvolvidos pela empresa líder com o apoio das equipas das outras duas empresas.

A Aliança pretende assim garantir que os modelos líderes e seguidores das três empresas serão produzidos de forma competitiva, incluindo a fabricação quando tal for pertinente.

Para a Aliança, é ainda fundamental continuar a desenvolver sinergias nas áreas dos comerciais ligeiros, onde já se aplica o conceito de leader-follower.

Até 2025, cerca de 50% dos modelos da Aliança vão ser desenvolvidos e produzidos sob este esquema.

Frente do X-Trail © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Foco nas Regiões Referência

A Aliança vai nomear as diversas zonas geográficas mundiais como “regiões referência”. Cada uma das empresas vai estar focada nas regiões onde é referência no seio da Aliança, o que lhe permitirá um maior nível de competitividade naquelas zonas, bem como reforçará a competitividade dos seus parceiros.

As empresas da Aliança vão assim liderar as seguintes regiões referência:

  • NISSAN: China, América do Norte e Japão
  • RENAULT: Europa, América do Sul e Norte de África
  • MITSUBISHI: Sudeste Asiático e Oceânia

Esta “divisão” vai aumentar as sinergias e maximizar o potencial de partilha de custos fixos — uma forma de alavancar os ativos de cada empresa.

VÊ TAMBÉM: Menos Nissan na Europa? Novo plano de recuperação parece indicar que sim
Mitsubishi L200 Strakar 1st Edition

As empresas que constituem a Aliança dizem que o esquema leader-follower vai ser estendido também a plataformas e motores, bem como a todas as restantes tecnologias, com a liderança de cada área a ser assegurada da seguinte forma:

  • Condução autónoma: NISSAN
  • Tecnologias para automóveis conectados: RENAULT para a plataforma Android e NISSAN na China
  • E-body – sistema principal da arquitetura elétrica e eletrónica: RENAULT
  • Motor e-PowerTrain (ePT): CMF-A/B ePT — RENAULT e CMF-EV ePT — NISSAN
  • PHEV para os segmentos C/D: MITSUBISHI

Consulta a Fleet Magazine para mais artigos sobre o mercado automóvel.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Mais artigos em Notícias