Leilão

Que o terror possa continuar. Christine vai a leilão

Christine é o nome de um Plymouth Fury de 1958 que prova que o verdadeiro mal pode assumir qualquer forma, até um automóvel. Quem arriscará comprá-lo?

Para os fãs do cinema de terror e entusiastas de automóveis, Christine é um filme (1983) que encherá certamente as medidas, baseado na obra homónima de Stephen King, e realizado por John Carpenter.

É a história de um Plymouth Fury de 1958 (produzido em 1957), batizado de Christine pelo seu primeiro dono, que está “vivo”, possuído por forças demoníacas e sem problemas em matar. Vinte anos após ter saído da linha de produção, e num estado de abandono, é comprado por um jovem que o recupera.

É o início de uma relação entre o jovem e o seu automóvel, cuja influência demoníaca da máquina cedo se faz sentir. Com o decorrer da história, vemos Christine a iniciar nova vaga homicida, literalmente eliminando toda e qualquer ameaça ao seu novo e jovem dono — destaque para a capacidade de Christine em recuperar dos danos sofridos durante as suas “vendetas”.

Christine, Plymouth Fury, 1958

Este Plymouth Fury que vai a leilão no próximo dia 10 de janeiro em Kissimmee, na Flórida, nos Estados Unidos da América, através da Mecum Auctions, é o único do filme que está documentado, e inclui registos de propriedade por parte da Polar Filmes e fotos do produtor Richard Kobritz e de alguns atores do filme com o carro — este exemplar foi usado sobretudo para planos fechados.

Durante a produção do filme foram usados 23 automóveis, entre o protagonista Plymouth Fury, assim como outros dois modelos da Plymouth contemporâneos, o Belvedere e o Savoy.

Foi alvo ainda de um restauro aprofundado, residindo por baixo do capot um “small block” V8 Wedge, com carburadores duplos de quatro câmaras, e uma admissão da Offenhauser. A transmissão é do tipo automático (TorqueFlite), e já possuia direção assistida e servo-freio. O rádio — a “voz” de Christine no filme, com uma excelente seleção de músicas rock da década de 50 para comunicar — é apenas AM.

Christine, Plymouth Fury, 1958

Uma adição pós-filme é o autocolante que podemos encontrar no para-choques traseiro “Watch out for me, I am pure evil, I am Christine” que se traduz em algo parecido a “Tomem cuidado comigo, eu sou o mal puro, eu sou Christine”.

A leiloeira espera que este Plymouth Fury, ou melhor, o Christine, seja arrematado por um valor entre 400 mil e 500 mil dólares (360 mil e 450 mil euros).

Christine, Plymouth Fury, 1958
Sabes responder a esta?
Eleanor do filme "60 segundos" era baseado em que carro?

Mais artigos em Notícias