Tecnologia

A SEAT quer que os carros “falem” com os semáforos

A SEAT está apostada em conetar os automóveis à infraestrutura rodoviária e para o fazer já conta com um protótipo que "fala" com os semáforos.

Quantas vezes não deste contigo a caminho de um semáforo e a pensar “quando é que irá ficar vermelho?”. Pois bem, a SEAT quer que deixes de ter de fazer essas “contas de cabeça” e por isso pretende conetar os automóveis à infraestrutura rodoviária, o que inclui os semáforos.

Para o fazer, a marca espanhola uniu esforços com a Direção Geral de Tráfego, a Câmara Municipal de Barcelona e a ETRA (Electronic Trafic) num projeto que coneta automóveis com semáforos e painéis informativos através da plataforma DGT 3.0.

Esta tecnologia permite aos condutores receberem com antecedência um alerta que mostra em que estado se encontram os semáforos. Para além disso, elimina a necessidade de existirem painéis informativos, pois as informações sobre incidentes na estrada chegam diretamente ao veículo.

VÊ TAMBÉM: Ao volante do SEAT Mii electric. O primeiro de uma nova era
SEAT veículos conetados
Com o projeto que está a levar a cabo a SEAT promete tornar obsoletos os painéis informativos.

Como funciona?

No que diz respeito aos semáforos, o sistema calcula a distância e a velocidade do automóvel emitindo um alerta no ecrã que informa se o condutor vai encontrar o semáforo vermelho, amarelo ou verde. No entanto, este sistema só funciona quando o automóvel circula dentro dos limites de velocidade impostos.

Ainda acerca deste sistema, Jordi Caus, Chefe de Mobilidade Urbana da SEAT, explica: “O semáforo envia um sinal à cloud da DGT sobre o seu estado atual e quando vai mudar de cor. A viatura recebe e interpreta esta informação, avisando o condutor com antecedência do que vai encontrar no caminho dependendo da sua velocidade”.

VÊ TAMBÉM: Testámos o SEAT Ateca 1.5 TSI com 150 cv. Faz esquecer o 2.0 TDI?
SEAT veículos conetados
Aqui está um pequeno vislumbre do interior do novo Leon.

Já em relação aos avisos de incidentes na estrada (sejam eles obras, acidentes ou o estado do clima), estes surgirão diretamente no ecrã do automóvel.

O mesmo que costumávamos fazer com painéis de mensagens móveis na estrada, podemos fazê-lo agora, mas em qualquer ponto da estrada, diretamente para o carro.

Jorge Ordás, subdiretor de Mobilidade e Tecnologia da Direção Geral de Tráfego

No futuro, o objetivo passa por permitir que os automóveis conetados e os seus condutores funcionem como canais de comunicação, com Jorge Ordás, subdiretor de Mobilidade e Tecnologia da Direção Geral de Tráfego a afirmar: “Qualquer pessoa com informação do que está a acontecer num trajeto pode partilhar estes dados com outros condutores”.

VÊ TAMBÉM: Aqui está ela! Esta é a primeira eScooter da SEAT

Um vislumbre do futuro?

Com o aumento da segurança e da eficiência como principais objetivos, este projeto pretende ter um “impacto significativo na redução de acidentes e de trânsito, com um efeito positivo no meio envolvente”.

Segundo o Chefe de Mobilidade Urbana da SEAT, este projeto é “o primeiro passo para conetar automóveis com a infraestrutura geral rodoviária”.

Jordi Claus afirmou: “Começámos com funções informativas, mas, pensando no futuro, seremos capazes de atuar diretamente em automóveis em situações de risco”, abrindo assim a porta aos veículos autónomos.

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo da SEAT?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

O primeiro SEAT da história faz 65 anos
Em cheio!!
Vai para a próxima pergunta

ou lê o artigo sobre este tema:

O primeiro SEAT da história faz 65 anos

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos