Apresentação

O novo Skoda Octavia tem mais espaço, tecnologia e até um híbrido plug-in

Agora sim, ficamos a conhecer o novo Skoda Octavia na sua totalidade, com a marca a retirar a camuflagem do seu mais importante modelo.

Após a marca checa ter revelado tudo, ou quase tudo, há duas semanas sobre o novo Skoda Octavia, ficou praticamente apenas por conhecer o que se escondia por baixo da garrida camuflagem que ostentava.

E agora sim, sem camuflagens, ficamos a conhecer a quarta geração daquele que é, sem dúvida, e como a própria Skoda o define, “o coração e motor” da marca.

O nome Octavia surgiu na Skoda originalmente em 1959, mas aqueles com que estamos familiarizados surgiram em 1996, e desde então já foram produzidos em mais de 6,5 milhões de unidades.

VÊ TAMBÉM: Kamiq. Já conduzimos o “baby-SUV” da Skoda

Nada de aventuras estéticas — as controversas duplas óticas do restyling da terceira geração ficaram para trás. O novo Octavia vai buscar aos Skoda não-SUV, sobretudo o novo Scala, grande parte da sua identidade, sobretudo ao nível das óticas dianteiras (Full LED de série) e da forma como interagem com a grelha; e do formato dos farolins traseiros.

De perfil, bem mais familiar, a maior diferença parece estar na linha de cintura, bem mais expressiva (espessura variável). As novas linhas também oferecem menos resistência — o Cx é de 0,24 para a berlina, enquanto a carrinha, a Combi, fica-se por uns também excelentes 0,26.

VÊ TAMBÉM: Skoda Scala G-TEC. Porque nem só a gasolina e gasóleo se faz a combustão

Interior com muitas estreias

É no interior que assistimos às maiores diferenças, tanto pelo novo design, como também pelos novos equipamentos/componentes que pode integrar, muitos deles estreias absolutas na história do Skoda Octavia.

O design assume uma orientação horizontal e por camadas, com uma clara separação entre a consola central e o painel de bordo, mais acima. O ecrã tátil do sistema de info-entretenimento (8,25″ a 10″) e as saídas de ventilação centrais trocaram de posição e o número de botões viu-se substancialmente reduzido.

Entre as estreias, talvez a mais visível seja o novo volante de apenas dois braços (opcionalmente aquecido). Os bancos Ergo são novos e opcionalmente podem oferecer massagem elétrica e ser ventilados, também uma estreia na gama.

Skoda Octavia 2020

Outra novidade é o opcional head-up display, com a informação a ser projetada diretamente no pára-brisas (que também pode ser opcionalmente aquecido). Climatização tri-zona? Também é uma possibilidade.

Para aqueles que não querem nunca “desligar”, até cinco entradas USB-C — opcionalmente podem ter uma acima do retrovisor — podem ser encontradas no novo Skoda Octavia, assim como é possível ter carregamento por indução.

Skoda Octavia 2020
VÊ TAMBÉM: iV é a nova submarca elétrica da Skoda. O Citigo-e iV é o seu primeiro elétrico

“Simply Clever”

Como já é “tradição”, também o novo Skoda Octavia vem munido com pequenas e práticas soluções, que facilitam o seu uso. Desde os já esperados guarda-chuvas nas portas, até novas bolsas específicas para smartphones nas costas dos bancos dianteiros, cortinas para-sol para as janelas das portas traseiras e até uma escova marcam presença.

Encher o reservatório do líquido para o para-brisas é agora mais fácil, graças à integração de um funil; para os Octavia com motor Diesel, o reservatório de AdBlue pode agora ser enchido recorrendo às bombas usadas por camiões; existe uma partição multifunções na bagageira tanto na berlina como na carrinha. Nada parece ter sido deixado ao acaso.

E mais?

Como já referimos anteriormente, o novo Skoda Octavia cresceu ligeiramente relativamente ao antecessor, é mais espaçoso, e a bagageira cresceu ligeiramente em ambas as carroçarias.

No campo das motorizações, parece haver uma para todos os gostos e necessidades: gasolina, Diesel, híbrida plug-in e até uma G-TEC a Gás Natural Comprimido.

Temos motorizações a gasolina, 1.0 TSI e 1.5 TSI, associadas a um sistema mild-hybrid 48 V (eTEC) equipadas com transmissão DSG. Os motores Diesel (EVO) emitem até 80% menos dos nefastos óxidos de azoto (NOx). A versão G-TEC permite uma autonomia de até 523 km com um total de 17,7 kg de gás natural. E a inédita iV, a versão híbrida plug-in, conjuga o 1.4 TSI com um motor elétrico, capaz de proporcionar até 55 km de autonomia 100% elétrica.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Skoda Kodiaq RS, um SUV de 7 lugares… “desportivo”. Faz sentido?

Quando chega?

A quarta geração do Skoda Octavia chega em 2020, mas ainda não foi avançada uma data concreta ou quanto custará o novo modelo.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos