Fórmula 1

GP da China. O que esperar do 1000º Grande Prémio da história?

Motivos de interesse não faltam ao Grande Prémio da China. Desde uma efeméride até ao duelo Ferrari/Mercedes, o que esperar da terceira prova do ano?

Terceira prova do calendário de Fórmula 1 de 2019, o Grande Prémio da China, disputado no circuito de Shangai, este ano tem mais motivos de interesse do que as habituais disputas em pista. É que este vai ser o Grande Prémio número 1000 (sim, bem sabemos que há alguma controvérsia acerca deste número mas vamos lá seguir os valores anunciados pela FIA).

Ao todo, e desde que se disputam GP’s de Fórmula 1, foram completadas 65 607 voltas, sendo que já 32 países receberam “o circo da Fórmula 1” tendo sido 68 os circuitos onde já se disputaram GP’s da modalidade de topo do automobilismo. Quanto à primeira prova de Fórmula 1, essa remonta a 1950 e foi disputado em Silverstone.

Quanto a vitórias, apesar de até hoje já se terem disputado 999 provas de Fórmula 1, apenas 107 pilotos subiram ao lugar mais alto do pódio, sendo que no total apenas 33 conseguiram sagrar-se campeões. Quanto ao número de “sortudos” que puderam iniciar pelo menos uma das 999 corridas de Fórmula 1 disputadas até hoje, esse fica-se por 777 pilotos.

O circuito de Shangai

Estendendo-se por 5,451 km, há já 16 anos que ali se disputa o Grande Prémio da China. A volta mais rápida ainda hoje pertence a Michael Schumacher que em 2004 estabeleceu um tempo de 1min32,238s aos comandos de um Ferrari. Quanto ao número de vitórias, o líder (destacado) é Lewis Hamilton, que já ali venceu por cinco vezes.

Já ao nível das equipas, a mais bem sucedida no circuito chinês é a Mercedes, com um total de cinco vitórias. Ainda por falar em equipas, e num extremo completamente oposto ao da Mercedes, surge a Minardi, que disputou a sua última corrida na Fórmula 1 naquele circuito em 2005, após 20 anos nas grelhas de partida.

O que esperar?

Apesar do Grande Prémio da China ter como grande chamariz o comemorar da milésima prova de Fórmula 1, é na pista que vão estar os reais pontos de interesse.

VÊ TAMBÉM: Ao volante do Adamastor P003RL. O desportivo PORTUGUÊS

A nível desportivo, os holofotes focam-se no duelo Mercedes/Ferrari, com a marca alemã a contar já com duas vitórias este ano (divididas entre os seus dois pilotos) enquanto a Ferrari apresenta como melhor resultado o terceiro lugar de Charles Leclerc no Bahrain mesmo após ter visto o seu motor praticamente destruir-se.

Para evitar que algo do género voltasse a acontecer na China, a Ferrari decidiu voltar à um conjunto de especificações mais antigas das unidades de controlo do motor dos SF90.

Também à procura da fiabilidade perdida está a Renault que viu os dois carros desistirem no Bahrain e por isso trocou os MGU-K em todos os carros com os seus motores (inclusive McLaren) e ainda o motor do carro de Nico Hülkenberg.

VÊ TAMBÉM: Este MG Metro 6R4 é a tua oportunidade de teres um Grupo B

Será ainda interessante ver como vai evoluir Lando Norris depois de ter levado o McLaren até ao sexto lugar no Bahrain e até que ponto Pierre Gasly conseguirá começar a apresentar resultados mais positivos.

Os treinos livres começaram na madrugada desta sexta-feira, sendo que a qualificação está marcada para as 7h00 de sábado (hora de portugal continental). Já o arranque do Grande Prémio número 1000, está marcado para as 7h10 (hora de portugal continental) de domingo.

Sabes responder a esta?
Qual era a potência da Renault Espace F1?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

7 automóveis que receberam motores de Fórmula 1

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos