Indústria

Esta é a história de como a SEAT salvou o Papamóvel (e não só)

O incêndio na fábrica da SEAT há umas semanas chegou a ameaçar vários clássicos da marca. No entanto, os funcionários da SEAT e os bombeiros evitaram o pior.

Ainda há umas semanas te falámos acerca do incêndio que afetou a fábrica da SEAT em Barcelona e que chegou a ameaçar o armazém A122. Pois bem, hoje vimos contar-te alguns dos detalhes da ação de resgate das 317 unidades históricas que se encontram naquele espaço que o nosso Guilherme Costa até já pôde visitar.

Como é óbvio, a tarefa de salvar mais de 300 veículos históricos sem nenhum sofrer danos só foi possível graças à rápida intervenção dos funcionários da SEAT e dos bombeiros de Barcelona. A este fator juntou-se um critério bem planeado de resgate que permitiu que este fosse feito de forma eficaz e sem que nenhum automóvel sofresse danos.

Prova dessa rápida resposta são as declarações de Isidre López que referiu: “Começámos a conter o incêndio com as mangueiras instaladas para esta função e os serviços de Segurança e Emergência da SEAT e os Bombeiros de Barcelona chegaram rapidamente”. Isidre López acrescentou ainda: “Para mim, eles são heróis. A atitude de todas as equipas foi impressionante”.

VÊ TAMBÉM: SEAT Ibiza. Vencedor Carro do Ano 1994 em Portugal
Museu SEAT
O SEAT 124 que assinalou o primeiro milhão de unidades produzidas.

O critério de resgate dos clássicos

De acordo com Isidre López, o critério de salvamento foi o seguinte: “Primeiro tirámos os que estavam à entrada do pavilhão para criar um espaço (…) para que os bombeiros pudessem trabalhar (…).Depois retirámos os carros de corrida maiores e depois tirámos o Papamóvel, que estava mesmo à frente do foco do incêndio”.

Por falar em Papamóvel, o resgate deste veículo único foi facilitado devido ao facto deste não ter tejadilho, algo que tornou mais fácil empurrá-lo. Será o Papamóvel mais pequeno de sempre? A razão para a sua criação, baseado no pequeno SEAT Panda (ainda não era Marbella naquela altura), foi o facto de o veículo que o Papa utilizava nas suas visitas oficiais não caber na porta do Camp Nou e de Santiago Bernabéu.

O momento do salvamento do SEAT Panda Papamóvel também ficaria registado para a prosperidade através de um tweet publicado enquanto o incêndio decorria:

 

VÊ TAMBÉM: Futuro da mobilidade urbana na SEAT chama-se Minimó
Museu SEAT
SEAT Ibiza MK1. Os primeiros capítulos de uma história de sucesso que perdura.

Para além do Papamóvel, estavam naquele espaço modelos como o primeiro carro de ralis de Carlos Sainz, o penúltimo SEAT 600 ou o SEAT Toledo elétrico dos Jogos Olímpicos de Barcelona de 1992, entre outros.

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo da SEAT?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

O primeiro SEAT da história faz 65 anos
Em cheio!!
Vai para a próxima pergunta

ou lê o artigo sobre este tema:

O primeiro SEAT da história faz 65 anos

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos