Apresentação

Novo Peugeot 208. Já o vimos de perto, tudo o que precisas de saber

Numa sessão reservada a alguns jurados do Car Of The Year, já pude ver de perto o novo Peugeot 208, uma das estrelas do próximo Salão de Genebra e que assinala uma revolução no modelo. Logo desde o lançamento, vai estar disponível com motorizações a gasolina, gasóleo e também elétrica.

Em Mortefontaine, França

Sem dúvida que a maior novidade da segunda geração do Peugeot 208, o último descendente do icónico 205, é a presença na gama, logo desde o lançamento, de uma versão 100% elétrica, o e-208.

Utilizando uma versão da plataforma CMP, a e-CMP, para veículos elétricos, o e-208 da Peugeot tem um motor de 136 cv (100 kW) e 260 Nm, anunciando uma aceleração 0-100 km/h em 8,1s.

A bateria de 50 kWh ocupa 220 l de volume, está alojada sob os bancos de trás e da frente e pesa 340 kg, segundo dados da marca, contribuindo para uma boa distribuição de pesos e sem roubar espaço à mala. A bateria é arrefecida a líquido e tem garantia de oito anos ou 160 mil km para um funcionamento acima dos 70%.

RELACIONADO: Já conduzimos o Peugeot 508 Hybrid, o primeiro “plug-in” da PSA
Peugeot e-208
Peugeot e-208

A autonomia em ciclo WLTP é de 340 km (450 km, no antigo NEDC). Quanto aos tempos de recarga, estão anunciados três diferentes, consoante o tipo de carregador: numa tomada doméstica, uma carga completa demora 16h, numa Wallbox de 11 kW demora 5h15, mas se for de 7,4 kW, precisa de 8h00. Finalmente, num carregador rápido de 100 kW (que não há muitos…) precisa apenas de 30 minutos para chegar aos 80% de carga.

Modos de condução EV

Existem três modos de condução à escolha do condutor: Eco, para maximizar a autonomia, Normal, e Sport, que dá prioridade à performance e é o modo onde se consegue a melhor aceleração 0-100 km/h.

Em complemento, há também dois níveis de regeneração que o condutor deve escolher de acordo com as condições de condução: um moderado que proporciona uma sensação de travagem semelhante ao travão-motor de um carro com motor térmico, quando se desacelera. E um modo aumentado, que trava muito mais o carro quando se tira o pé do acelerador e praticamente permite guiar apenas com o pedal da direita, sem necessidade de usar o travão.

A Peugeot afirma que o e-208 tem o melhor conforto térmico do mercado ao incluir um motor de 5 kW, uma bomba de calor, bancos aquecidos, tudo isto sem prejuízo da autonomia da bateria. O sistema permite aquecer a bateria enquanto está a ser carregada, para otimizar o seu funcionamento em condições de muito frio, com o carregamento a poder ser programado à distância através de uma aplicação para smartphone.

TESTE: Testámos o Hyundai Kauai Electric. Carga máxima!

Serviços de apoio

Sabendo que a transição energética não é uma situação fácil, a Peugeot disponibiliza aos condutores do e-208 um conjunto de ajudas como o Easy-Charge, que proporciona soluções de instalação de Wallbox em casa ou no local de trabalho, incluíndo um serviço de diagnóstico da arquitetura elétrica disponível no local.

Através da empresa Free2Move (propriedade da PSA) vai existir um passe para acesso a mais de 85 000 postos de carregamento públicos na Europa. Este serviço inclui ainda a localização dos postos mais convenientes, de acordo com a distância, velocidade de carregamento e preço, tudo ligado ao sistema de navegação do carro.

A Easy-Mobility permite fazer o planeamento de deslocações mais longas através dos serviços da Free2Move, com proposta dos melhores percursos, considerando a autonomia e localização de pontos de recarga. Este serviço inclui ainda um cartão para acesso ao aluguer de um automóvel e conselhos de condução para otimizar a autonomia.

Finalmente, para diminuir a ansiedade da utilização de um carro elétrico, é disponibilizado um simulador digital, assistência na estrada e um certificado de capacidade da bateria, para facilitar a revenda do e-208.

A nova face do leão

Não é preciso ser muito perspicaz para perceber onde o novo 208 foi buscar a inspiração para o seu estilo: as luzes de dia verticais e a barra traseira negra a unir os farolins, são assinaturas já conhecidas do 3008/5008 e do 508 que transitam para o novo 208.

Peugeot 208

Do modelo anterior fica o recorte do pilar traseiro, quando visto de perfil. As dimensões mudam porque a passagem da anterior plataforma F1 para a nova CMP assim o permite. É uma plataforma versátil, que servirá para os modelos do segmento B e alguns do segmento C, na PSA, complementando a plataforma EMP2, que continuará a servir os modelos dos segmentos C e D.

Face ao anterior 208, a nova geração é mais comprida, mais larga e mais baixa, mas a Peugeot ainda não revelou os milímetros. Mas basta estar ao lado do novo 208 para perceber a sua pose mais “agarrada” ao solo, que resulta muito bem.

VÊ TAMBÉM: Do Peugeot 205T16 ao 3008 DKR. A história (quase) completa

O desenho dos faróis e farolins inspirados nos cortes feitos pelas garra de um leão, resultam bem agressivas e diferenciadoras. Na rua, ninguém vai confundir o 208 com qualquer outro utilitário do segmento B.

CMP e e-CMP

A plataforma CMP (Common Modular Platform) é 30 kg mais leve e tem uma aerodinâmica aperfeiçoada, com fundo plano e entradas de ar dianteiras com abertura eletrónica. Foi também feito um trabalho de redução dos atritos da suspensão e do rolamento dos pneus.

Depois houve uma otimização generalizada dos motores e transmissões, nomeadamente com menos atritos internos e redução de tamanho de alguns componentes, também no sentido de melhorar a repartição de pesos pelos dois eixos.

A variante e-CMP, usada para a versão elétrica e-208, e do novo DS 3 Crossback E-tense, que vai ser o primeiro a chegar ao mercado. A Peugeot deu uma atenção especial à redução de barulho no habitáculo e também a uma oferta de sistemas eletrónicos de auxílio à condução muito superiores à do modelo atual.

No interior, a subida de qualidade dos materiais e uma nova interpretação do i-Cockpit são os pontos fortes, para resumir os progressos desta segunda geração do 208.

Os motores disponíveis cumprem as normas EURO6d, para os a gasolina e a norma EURO6d-Temp, para os Diesel, e são conhecidos: 1.2 de três cilindros com variantes de 75, 100 e 130 cv, nos gasolina e um único Diesel 1.5 BlueHDI de 100 cv. Pouco comum no segmento é a opção de uma caixa automática de oito relações, nos dois motores a gasolina mais potentes. O menos potente tem uma caixa de cinco e os restantes têm caixa manual de seis.

Vamos ao detalhe

Há uma clara vontade de reposicionar o novo 208 um pouco mais acima no segmento, esperando-se que os preços subam a par com os conteúdos tecnológicos e de equipamento. Isso mesmo é refletido no novo estilo, que emprega detalhes definidores do aspeto final como o recuo dos pilares dianteiros do tejadilho, que permitem uma silhueta com o capot mais comprido.

Também o alinhamento vertical do terceiro vidro lateral com a cava da roda contribui para um perfil típico dos premium. Nas versões GT Line, GT e também no e-208, os guarda-lamas têm uma contorno em preto brilhante que faz aumentar a perceção do tamanho das rodas, que chega às 17″. As rodas usam uma zona central aparafusada que melhora a aerodinâmica e reduz as massas não suspensas em 0,9 kg por roda.

Novo ar de família

Os guarda-lamas alargados dão um aspeto mais agressivo ao 208, sobretudo visto de frente, onde a grelha ganha destaque, ladeada pelos faróis com três linhas verticais em Full-LED nas versões mais equipadas. Tal como no 508, a designação 208 passa a estar no extremo dianteiro do capot, num piscar de olhos ao passado da marca.

De resto, a traseira pode ter um extrator esculpido no para-choques e uma ponteira de escape cromado, um dos poucos detalhes exteriores a usar este acabamento. O “salto” para o atual modelo é enorme, harmonizando o desenho com os mais recentes 508 e 3008/5008.

O 2008 — apresentação prevista ainda este ano —, que vai partilhar muito com este novo 208, será o próximo a receber esta atualização estilística e depois será a vez do 308.

RELACIONADO: Todas, mas mesmo todas as novidades para 2019

Interior bem melhor

O novo 208 continua a usar a solução do painel de instrumentos alto, que tem de ser lido por cima do aro do volante, de pequeno diâmetro. Mas essa tarefa é agora facilitada com a introdução do volante semelhante ao do 508 e 3008/5008, com a parte de cima plana.

O painel de instrumentos passou a ser digital e com um efeito tridimensional que coloca a informação mais próxima ou mais distante dos olhos, consoante a sua importância ou urgência, acelerando a reação do condutor em meio segundo.

No topo da consola, há um novo monitor tátil que pode ser de 5″, 7″ ou 10″, de acordo com o nível de equipamento e, por baixo, uma linha de botões para acesso às funções mais frequentemente usadas.

Peugeot e-208
Painel de instrumentos do Peugeot e-208

Houve um avanço significativo na qualidade dos materiais macios usados no tablier, portas e consola, e mesmo de aplicações com efeito carbono. Os bancos são também novos e, pelo menos com o carro parado, pareceram ter melhor conforto e sustentação do corpo.

A posição de condução com volante pequeno e painel de instrumentos alto tem sido do gosto da maioria dos clientes e pareceu melhor afinada, com ajustes suficientes e boa visibilidade para a frente.

Peugeot 208

Nos lugares traseiros foi feito um esforço para criar espaço em largura suficiente para transportar três adultos, mas a plataforma tem os seus limites, como é óbvio. O espaço para as pernas é decente e a altura aceitável, mas a entrada e saída não é muito fácil. À vista, a mala tem uma capacidade idêntica à atual, os dados finais ainda não foram divulgados.

Os porta-objetos foram melhorados e ampliados, a começar pelas bolsas das portas, por um apoio de braços dianteiro mais volumoso, com tampa e uma prateleira à frente da alavanca da caixa. Há ainda um compartimento com tampa para colocar o smartphone em carga indutiva. Em algumas versões o travão de mão é elétrico.

Mais premium

O novo 208 sobe de posicionamento também pela estrutura da gama, dividida em cinco níveis de equipamento: Access, Active, Allure, GT Line e GT.

As duas últimas versões têm detalhes como faróis dianteiros full-LED, guarda-lamas com frisos preto brilhante, material usado também nas molduras dos vidros laterais, e jantes de 17”. Por dentro, estas duas versões também têm detalhes específicos, como forro do tejadilho em preto, oito cores ambiente, bancos desportivos e pedais com capas em alumínio.

No caso do e-208 em nível GT, inclui ainda bancos num misto de Alcantara e tecido com efeito 3D, além de jantes de 17” com aplicações específicas.

Mais “tecnologia”

O novo 208 evolui muito nos conteúdos relativos a assistências eletrónicas à condução a começar com um novo cruise control adaptativo com função stop & go, com regulação da distância para o carro da frente. Se a função stop & go parar o carro até três segundos, o arranque do motor é automático, caso contrário, o condutor tem que dar um toque no acelerador ou numa das hastes da coluna de direção. Isto para versões com caixa automática. Com caixa manual, se o sistema tiver que baixar dos 30 km/h, o cruise control entra em pausa e o condutor terá que imobilizar o veículo.

Outras funções disponíveis são a centragem de faixa, assistência ao estacionamento com comando de acelerador, direção e travões (só com caixa automática) e a última geração de travagem de emergência. Esta versão tem deteção de peões e ciclistas, de dia e de noite e funciona entre os 5 e os 140 km/h.

Peugeot 208

Correção de saída de faixa acima dos 65 km/h, monitorização do cansaço do condutor, luzes de máximos automáticas, deteção de sinais de trânsito e de limites de velocidade e monitor de ângulo morto acima dos 12 km/h, também estão disponíveis, consoante o nível de equipamento.

Quanto à conetividade, o 208 inclui espelhamento do smartphone, carga indutiva, quatro tomadas USB e um sistema de navegação Tom Tom com informação de trânsito em tempo real. Uma lista muito completa para o segmento “B”.

VÊ TAMBÉM: DS 3 Crossback revelado. Vai ter versão 100% elétrica

Quando chega?

O novo Peugeot 208 estará à venda antes do final deste ano e será uma das estrelas do Salão de Genebra, que abre no dia 5 de março. Vai ser possível encomendar um online no site da Peugeot e até fazer o pagamento de um sinal, para garantir um dos primeiros lugares na fila, quando as entregas começarem.

Peugeot 208

A Peugeot está muito confiante no novo 208 e parece ter razões para isso. Falta ver como será a dinâmica, mas essa costuma ser uma área em que os franceses não têm grandes problemas.

A grande história da nossa marca é continuar a avançar com serenidade e convicção. A mensagem que transmitimos aos nossos clientes é simples: escolha o nível de equipamento e o tipo de motor e divirta-se!

Jean-Philippe Imparato, CEO da Peugeot

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos