Mercado

Mercado automóvel de ressaca. Culpem o WLTP

Depois de em agosto o mercado europeu ter tido um aumento de 38% nas vendas veio a ressaca. O fim das promoções que antecipavam a chegada do WLTP e dificuldades na entrega de carros novos levaram a uma queda nas vendas.

Depois de este ano o mercado automóvel europeu ter vivido o melhor mês de agosto dos últimos 20 anos, com um aumento de 38% no número de carros registados, veio a esperada queda de vendas. O crescimento expressivo do mercado em julho e sobretudo agosto foi sol de pouca dura, justificado pelo “despachar” de stock de carros em não conformidade com o WLTP.

Marcas como a Volkswagen, com um crescimento do volume de vendas de 45% (quase 150 000 veículos vendidos); a Renault, com vendas de 100 000 unidades, crescendo 72% e a Audi, que foi a terceira marca mais vendida na Europa nesse período, com cerca de 66 000 unidades (+33%), foram das que mais aproveitaram um mês de agosto como há muito não se via no mercado.

Mas é caso para dizer que depois da bonança veio a tempestade, pois mal acabaram os incentivos e campanhas destinados a fazer um autêntico stock-off de carros que não estão homologados de acordo com o ciclo WLTP as marcas viram as vendas afundar. Se em agosto o crescimento do mercado foi grande, com um aumento de 38%, em setembro a queda não lhe ficou muito atrás, com o volume de vendas a cair 23%.

RELACIONADO: Culpem o WLTP. Mais de 200 versões para retestar só na Volkswagen

Enquanto em setembro do ano passado foram registados na Europa 1,36 milhões de novos carros, este ano o mesmo mês só viu serem registados 1,06 milhões de novos automóveis.

Porquê?

Isto deve-se em grande parte ao facto de só se poderem vender carros novos em conformidade com o WLTP a partir do dia 1 de setembro (os fabricantes podem ainda vender uma pequena percentagem de modelos NEDC), o que levou muitas marcas a terem de lidar com autênticos pesadelos logísticos levando à suspensão da entrega de modelos que ainda não tinham sido certificados de acordo com o ciclo WLTP e até a pausas temporárias na produção.

E que marcas mais estão a sofrer com estas pausas na produção? Apesar de a quase totalidade das marcas estar a ser afetada, as que mais têm sofrido com esta ressaca de um agosto de grandes vendas são exatamente as que mais venderam antes da entrada em vigor do WLTP.

"Depois de resultados de vendas acima da média nos últimos meses motivados pela venda de modelos em stock as dificuldades de entrega de veículos novos afetaram as vendas no mês de setembro sendo de esperar alguma flutuação nos valores de vendas nos próximos meses."

Comunicado da Audi
Audi modelos

Assim, para teres uma ideia, lembras-te de que a Audi foi a terceira marca mais vendida em agosto? Que teve um crescimento de vendas de cerca de 33%? Pois bem, o que ganhou em agosto perdeu em setembro, com as vendas a caírem cerca 56% na Europa no mês passado, e tudo devido a falhas na entrega de novos carros motivadas pelo WLTP que levaram os stands a ficarem vazios e a terem resultados bem abaixo dos que apresentaram no mês anterior.

Entretanto, o grupo Volkswagen, ao qual pertence a Audi, já informou que as versões mais vendidas dos modelos da marca mãe já estão todas homologadas de acordo com o ciclo WLTP, o que, de acordo com a marca, vai ajudar a aliviar os problemas de entregas de novos carros que têm afetado as vendas depois de 1 de setembro.

Sabes responder a esta?
Quantos exemplares do novo Porsche 911 Speedster vão ser produzidos?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Porsche 911 Speedster vai ser produzido mas…nem todos vão poder ter um

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos