Antevisão

Nova geração do Dacia Sandero mais próxima do… Volkswagen Golf

A próxima geração do Dacia Sandero promete fazer estragos na concorrência. Poderá usar a plataforma CMF-B (do futuro Renault Clio) e terá também dimensões mais generosas, próximas de um Volkswagen Golf, avança a Auto Bild.

Nascida em 2008, a primeira geração Dacia Sandero pretendia oferecer um utilitário a custos controlados. A fórmula estava certa — venderam-se centenas de milhares de unidades — porém era demasiado simplista.

Por isso, em 2012 chegou a segunda geração (e atual também) do Sandero. Um modelo em tudo igual ao anterior (recorre à mesma base), porém com maior qualidade, mais equipamento e um design mais interessante.

Em 2019 chegará finalmente ao mercado a 3ª geração de um dos «best seller» da marca romena. E tendo em consideração os primeiros rumores, a coisa promete…

3ª geração. A revolução

De acordo com a revista alemã Auto Bild, a Dacia prepara-se para operar uma pequena revolução no Dacia Sandero. Conforme adianta a revista alemã, o novo Dacia Sandero vai recorrer à plataforma modular CMF-B (a mesma da do próximo Clio), com tudo o que isso acarreta em termos de espaço, comportamento dinâmico, segurança e tecnologia.

Com a nova plataforma, são esperadas também novas dimensões. A Auto Bild avança que o novo Dacia Sandero será maior que o próprio Clio (com quem partilhará a plataforma) e aproximar-se-á das proporções exteriores do segmento C, onde habitam modelos como o Volkswagen Golf — a referência quase incontestada do segmento.

Além de maior, o Dacia Sandero também poderá evoluir para um novo patamar em termos tecnológicos. Ao recorrer à plataforma CMF-B, a Dacia poderá usar, pela primeira vez, os mais recentes dispositivos de segurança da Renault, como a travagem automática de emergência ou o cruise-control adaptativo, num dos seus modelos.

Dacia Sandero
Segundo a Auto Bild, o objetivo do novo Dacia Sandero é conquistar as 5 estrelas nos testes de impacto do Euro NCAP.

Novos motores

Em termos de motorizações, os principais candidatos são, para já, um novo bloco 1.0 litros com potência de 75 cv a 90 cv, e o novíssimo 1.3 turbo, numa versão com 115 cv — desenvolvido em parceria com o grupo Daimler e que encontramos no novo Mercedes-Benz Classe A.

Quanto aos motores Diesel, o conhecido 1.5 dCi continuará a fazer as honras da casa.

RELACIONADO: Mercedes-Benz e Renault. As 6 diferenças do motor 1.5 Diesel partilhado

Apesar de todas estas novidades, não é de esperar uma estratégia de preços e posicionamento diferentes para a marca romena, que tem sido, de resto, a marca mais lucrativa do Grupo Renault-Nissan-Mitsubishi. O lançamento da 3ª geração do Dacia Sandero acontecerá no final de 2019.

Fonte: AutoBild via Autoevolution 

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos