Design

Rolls-Royce Cullinan cabrio, coupé… pick-up? X-Tomi Design imagina família Cullinan

Sacrilégio… A Rolls-Royce, o mais aristocrata dos construtores, cedeu às tendências e apresentou o seu primeiro SUV, o Cullinan. Mas porquê ficar apenas por uma variante? X-Tomi Design dá-nos a conhecer seis variantes para expandir a gama.

O nome proveio do maior diamante já encontrado, e apesar da associação de valor e durabilidade pretendida pela marca britânica à pedra preciosa, a mais clara é óbvia — no universo dos SUV de luxo, o Rolls-Royce Cullinan é, para já, o maior deles. Isto se descontarmos algumas criaturas mais exóticas, com números de produção mínimos… 

De acordo com a marca, a criação do seu primeiro SUV deve-se aos seus clientes, com requisitos para um veículo do género a prolongarem-se por uma década. Agora que o pecado original já foi cometido, porquê ficar-se só pelo formato tradicional de dois volumes de um SUV?

O mercado parece não se cansar dos diferentes sabores sobre a temática, havendo espaço para praticamente todo o tipo de “invenções”. Mais uma vez, X-Tomi Design a imaginar uma série de possibilidades para a expansão do Rolls-Royce Cullinan a uma família de modelos capaz de satisfazer todos os mais variados gostos e preferências.

Rolls-Royce Cullinan
Não parece nas imagens, mas é um verdadeiro gigante: mais de 5,3 m de comprimento e 1,8 m de altura

Cullinan cabrio, coupé… pick-up?

Como podem ver na galeria em destaque, as variantes vão desde uma carroçaria de três portas — shooting break —, a outra que podemos chamar de verdadeiramente coupé. A versão descapotável assemelha-se, curiosamente, bastante ao Phantom Drophead Coupe, mas a que despertou mais curiosidade foi definitivamente a pick-up. Nada diz mais “espírito de aventura” do que uma pick-up, mesmo uma com os níveis de luxo de um Rolls-Royce.

Se é pouco provável que vejamos algumas destas propostas na estrada, as últimas duas propostas pelo X-Tomi parecem-nos as mais inverosímeis. Um Cullinan “desportivo”? Não nos parece. Normalmente são os “Bentley Boys” que se preocupam mais com a performance.

E é garantido que não veremos um Rolls-Royce Cullinan “base”, com para-choques em plástico preto, grelha não pintada e jantes de ferro — apesar de as jantes não casarem nada mal. Talvez para uma versão dedicada exclusivamente ao off-road.

Sabes responder a esta?
Qual o carro de tração dianteira mais rápido no circuito de Magny-Cours?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Novo Honda Civic Type R é o tração dianteira mais rápido em Magny-Cours

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos