Lançamento

Porsche 911 T. Para puristas: menos equipamento, menos peso e… mais euros

Pensem no novo Porsche 911 T como um 911 R muito mais acessível e ilimitado, e não estarão muito longe da realidade. Já está disponível para encomenda.

A Porsche tropeçou num filão após o lançamento do 911 R. Aparentemente existe um mercado para entusiastas que procuram um 911 que não tem de ser o mais rápido no Nordschleife, ou melhor equipado do que a casa em que vivemos.

O 911 R esgotou tão depressa que fez imediatamente subir o seu valor… usado! O sucesso do R, como do Cayman GT4 um ano antes, era uma oportunidade que tinha de ser explorada. Na atualização do 911 GT3 vimos primeiro o regresso da caixa manual e recebeu, mais recentemente, o Touring Package que reduziu a parafernália aerodinâmica.

Será que a fórmula mais simples e purista resultará mais abaixo na hierarquia? É o que vamos saber brevemente, já que a Porsche acaba de apresentar o 911 T, uma versão mais leve, despida e focada na condução, derivando do 911 Carrera, o mais acessível dos 911.

Interior mais despido

O Porsche 911 T partilha com o Carrera o mesmo «flat six» de 3.0 litros turbo, com 370 cv e deve ser o único elemento em comum entre os dois. A partir deste ponto o 911 T, de Touring e como o original de 1968, segue o seu próprio caminho, com menos peso e relações mais curtas, à procura de maximizar a experiência de condução e ligação homem-máquina.

O foco no essencial levou à perca dos lugares traseiros e do PCM, o sistema de infoentrenimento da marca alemã. Repare-se no enorme vazio no interior deixado pela sua ausência. No entanto a Porsche pode repor esses equipamentos a pedido do cliente, sem custospor si só, uma notícia digna de ser dada…

Porsche 911 T

O óculo traseiro e as janelas laterais traseiras são mais leves, foi reduzido a quantidade de material isolante acústico e os manípulos das portas são tiras em pele. Destaca-se também o volante GT.

Por fora destaca-se pelo spoiler e retrovisores em cinzento Ágata, as rodas de 20″ em Cinzento Titânio e o escape de saída central em preto.

Equipamentos únicos

No final o 911 T perde 20 kg de peso relativamente ao Carrera. Não parece muito, mas parte do peso retirado acabou por ser reposto com a adição de equipamentos únicos ao 911 T e não disponíveis no Carrera.

Entre eles encontra-se a PASM — a suspensão pilotada da marca, que reduz a altura ao solo em 20 mm —, o Sport Chrono Package com peso otimizado e o manípulo da caixa de velocidades reduzido em altura. Em opção, também pode ser equipado com eixo traseiro direcional. Como também é opção as bacquets desportivas, indisponíveis no Carrera, em detrimento dos bancos elétricos de série — não deveriam ser de ajuste manual, para poupar peso?

VÊ TAMBÉM: Porsche 911 GT2 RS. Deixem passar o Rei do «inferno verde»

A caixa é manual é a já conhecida de sete velocidades — PDK em opção —, mas tem uma relação final mais curta e vem com diferencial autoblocante.

O resultado é uma relação peso-potência de 3,85 kg/cv, melhor que o Carrera, assim como o são as performances, apesar de pela margem mínima. Menos 0,1 segundos nos 0 aos 100 km/h, ficando-se pelos 4,5. A velocidade máxima de 293 km/h, menos 2 km/h que o Carrera.

O novo Porsche 911 T já pode ser encomendado em Portugal e começará a ser entregue no início do próximo ano. O preço inicia-se nos 135 961 euros.

Porsche 911 T

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos