Mercado

Já se compram mais carros a gasolina do que a Diesel

Teria de acontecer. Durante a primeira metade deste ano, o número de carros vendidos a Diesel na Europa foi ultrapassado pela venda de carros a gasolina.

A pressão e os ataques têm sido constantes. E os últimos desenvolvimentos apontam mesmo para a proibição de circulação de automóveis a Diesel dos principais centros urbanos europeus – tão cedo como 2025. E como seria de esperar, o mercado reagiu.

Previsivelmente, durante a primeira metade deste ano, as vendas de automóveis a Diesel decaíram. E estão a cair de tal forma que, pela primeira vez desde 2009, venderam-se mais automóveis a gasolina na Europa que a Diesel. Durante a primeira metade do ano de 2016 a quota de venda de automóveis a Diesel era de 50,2%. Este ano, para o mesmo período de tempo, a quota baixou para 46,3%.

Inversamente, a quota de venda de automóveis novos a gasolina subiu de 45,8% para 48,5%. Os restantes 5,2% que sobram correspondem às vendas de veículos com combustíveis ou grupos motrizes alternativos – híbridos, elétricos, GPL e GN.

Em números absolutos venderam-se menos 152 323 automóveis a Diesel, mais 328 615 a gasolina e 103 215 dos alternativos.

Smart fortwo ED

Diesel a menos, CO2 a mais

Os números divulgados pela ACEA (Associação Europeia dos Construtores Automóveis) revelam preocupações acrescidas para os construtores. O cumprimento das metas de emissões de CO2 estabelecidas para 2021 estava fortemente dependente dos Diesel. Caso o aumento das vendas de automóveis a gasolina continue é garantido que todos os construtores aumentarão os seus valores de emissões médias.

Como resolver este problema? A única solução terá de passar por um aumento exponencial da venda de veículos elétricos e híbridos. Um ponto que a ACEA destaca:

Propulsores alternativos terão, sem dúvida, um papel crescente no mix de transportes e todos os construtores europeus estão a investir fortemente neles. Para esse fim, mais terá de ser feito para encorajar os consumidores a comprarem veículos alternativos, como por exemplo, disponibilizar incentivos e implementar uma infraestrutura de carregamento por toda a UE.
Erik Jonnaert, Secretário Geral da ACEA

Verdade seja dita, as vendas de veículos híbridos e elétricos estão a crescer expressivamente na Europa em 2017 – 58% e 37%, respectivamente -, mas estamos a partir de números muito pequenos. Ou seja, de pouco ou nada serve para as contas dos construtores, devido à quota diminuta. Os híbridos correspondem a apenas 2,6% do total dos automóveis vendidos (maior parte deles Toyota) e os elétricos apenas 1,3%.

Para saber mais sobre a queda e ataque dos Diesel não deixem de ler:

Digam «adeus» aos Diesel. Os motores a gasóleo têm os dias contados

Parlamento Europeu acelera a morte dos Diesel

Ataque aos Diesel é uma ameaça às marcas premium. Porquê?

Os motores Diesel vão mesmo acabar? Olhe que não, olhe que não…

Diesel: Banir ou não banir, eis a questão

Diesel: Indústria automóvel alemã investigada pela UE por cartelização

“Cimeira do Diesel” serviu para alguma coisa?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub