Dicas de condução

Caixa de dupla embraiagem. 5 coisas que deves evitar

As caixas de dupla embraiagem são conhecidas pela sua rapidez de resposta. Mas para que a sua fiabilidade não seja posta em causa, há alguns cuidados a ter.

As caixas de dupla embraiagem assumem diferentes nomes consoante a marca. Na Volkswagen chamam-se DSG; na Hyundai DCT; na Porsche PDK; e na Mercedes-Benz G-Tronic, entre outros exemplos.

Apesar de ter nomes distintos de marca para marca, o princípio de funcionamento das caixas de dupla embraiagem é sempre o mesmo. Tal como o próprio nome indica, temos duas embraiagens.

A 1ª embraiagem está encarregue das mudanças impares e a 2ª embraiagem está encarregue das mudanças pares. A sua rapidez advém do facto de estarem sempre duas mudanças engrenadas. Quando é necessário trocar de relação, entre em cena uma das embraiagens e a outra é desacoplada. Simples e eficiente, reduzindo praticamente a “zero” o tempo de mudança entre as relações.

As caixas de dupla embraiagem são cada vez mais robustas – as primeiras gerações tinham algumas limitações. E para que não tenhas dores de cabeça com a tua caixa de dupla embraiagem, listamos 5 cuidados que vão ajudar-te a preservar a sua fiabilidade.

1. Não tirar o pé do travão nas subidas

Quando estiveres parado numa subida, não tires o pé do travão a menos que seja para arrancar. O efeito prático é semelhante ao de fazer “ponto de embraiagem” num carro com caixa manual para evitar que o carro descaia.

Caso o teu carro tenha assistente de arranque em subida (vulgo hill hold assist, autohold, etc), ele vai permanecer imóvel durante alguns segundos. Mas, caso não faças isso, a embraiagem entrará em ação para tentar segurar o carro. Resultado sobreaquecimento e desgaste do disco de embraiagem.

2. Não circular a baixa velocidade durante muito tempo

Circular a baixa velocidade ou fazer subidas íngremes muito devagar desgasta a embraiagem. São duas situações em que a embraiagem não se acopla totalmente ao volante. O ideal é alcançar uma velocidade suficiente para que a embreagem acople por completo.

3. Não acelerar e travar ao mesmo tempo

A menos que o teu carro com caixa de dupla embraiagem tenha função “launch control” e queiras fazer os 0-100 km/h em tempo canhão não precisas de acelerar e travar ao mesmo tempo. Novamente, vai sobreaquecer e desgastar a embraiagem.

Alguns modelos, por forma a salvaguarda a integridade de embraiagem limitam as rotações do motor quando o carro está parado.

4. Não colocar a caixa em N (neutro)

Sempre que estás parado, não precisas que colocar a caixa em N (neutro). A centralina da caixa faz isso por ti, evitando o desgaste nos discos de embraiagem.

5. Trocar de relação em aceleração ou em travagem

Aumentar a relação da caixa durante as travagens ou reduzir em aceleração prejudica as caixas de dupla embraiagem, porque vai contra os seus princípios de funcionamento. As caixas de dupla embraiagem antecipam as mudanças de caixa consoante os momentos de aceleração, se reduzires quando a espectativa da caixa era aumentar a relação e mudança de relação será mais lenta e o desgaste da embraiagem superior.

Neste caso concreto, a utilização do modo manual é danoso para a longevidade das embraiagens.

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos

Pub