Salão de Frankfurt 2017

E agora? Novo Porsche Mission E vai custar tanto como o Panamera

O Porsche Mission E vai chegar ao mercado já em 2019 e terá preços alinhados com a versão de entrada do Panamera. Mas há mais novidades.

Daqui por uns anos, quando recordarmos o Salão de Frankfurt 2017, vamos certamente recordar-nos das juras de «amor eterno» feitas pelas marcas às soluções elétricas.

Há muitos anos que os principais construtores começaram este namoro, mas só agora é que começam a surgir os primeiros sinais de verdadeiro compromisso. Já não são só promessas de adolescentes.

“Estão a ver? Este é nosso novo grande amor.”

As soluções elétricas chegaram finalmente a um nível de maturidade suficiente para os construtores mundiais começarem olhar com “outros olhos” para os veículos 100% elétricos. Há finalmente datas e objetivos concretos em cima da mesa.

Estão preocupados com o Porsche 911? Sigam diretamente para o final do artigo antes que tenham um ataque cardíaco.

Namoro de adolescência

A Porsche foi uma das marcas que voltou a vincar esse compromisso com os automóveis 100% elétricos. Mas podemos mencionar outros construtores com a Volkswagen, a Audi, a BMW, a Mercedes-Benz e até a “pequena” Smart.

Oliver Blume, Chairman da Porsche, afirmou que em 2023 é objetivo da marca é que 50% dos Porsche produzidos sejam 100% elétricos. O primeiro modelo dessa ofensiva será o Porsche Mission E, que chega ao mercado já em 2019 e terá um preço aproximado da versão base do Porsche Panamera.

Para a Porsche, é o regresso a um namoro de adolescência. O primeiro Porsche da história foi na verdade um veículo 100% elétrico – uma história a que nós prometemos voltar em breve.

O primeiro Porsche da história: com quatro lugares e 100% elétrico. Como o… Mission E!

Está quase pronto

Em termos estéticos, Oliver Blume é categórico. “Já terminámos o desenho. A versão de produção do Porsche Mission E é muito próxima do concept apresentado há uns anos [2015]”, disse em declarações à Car Magazine.

Por dentro, as diferenças deverão ser mais notórias face ao concept. É de esperar que o Mission E seja responsável por estrear algumas das tecnologias de infoentretenimento de próxima geração da Porsche: um sistema de comandos por gestos mais avançado e até hologramas. Veremos…

As performances do Mission E

Em termos de preço, já vimos que o Mission E vai equiparar-se ao Panamera. E quanto à performance, tem argumentos?

Quanto à performance a Porsche fala em menos de 3.5 segundos dos 0-100 km/h e menos de 12 segundos dos 0-200km/h. A velocidade será superior a 250 km/h. Bons argumentos, não acham?

Em termos de motores, o Porsche Mission E recorrerá a duas máquinas elétricas (uma por eixo), oferecendo assim tração integral. Do Porsche 911 será herdado o sistema de quatro rodas direcionais para um comportamento dinâmico «à Porsche».

Para ajudar a baixar o centro de gravidade as baterias estão situadas na base do chassis. Haverá várias versões do Porsche Mission E: S, GTS, etc. Ok… é um Porsche.

Tempos de carregamento dignos de Le Mans

Não sabemos se era conversa fiada ou não, mas há uns tempos o agora CEO da Volkswagen, Matthias Mueller, afirmou que “sem o programa desportivo do Porsche 919, não teríamos desenvolvido o Mission E tão rapidamente”.

2015 Porsche Mission E detalhe

Assumindo que é verdade (faz sentido…), foi graças ao seu programa de Le Mans que a marca que se conseguiu dar um boost ao seu conhecimento em termos de soluções elétricas. De acordo com a marca, o Mission E conseguirá carregar as baterias para 400 km (80% da carga total) em apenas 1/4 de hora. A autonomia total será de 500 km.

RELACIONADO: Ao volante do novo Porsche Panamera: a melhor berlina do mundo?

O Panamera em maus lençóis?

Com estas especificações técnicas e com um preço tão competitivo, será o fim do Panamera? A Porsche diz que não e eles costumam saber do que falam.

2017 Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid traseira

O Mission E servirá de elo de ligação entre o 911 e o Panamera, preenchendo um espaço vazio que atualmente existe na gama do construtor alemão. Oferecerá portanto um compromisso de performance, espaço e conforto entre estes dois modelos. A ver vamos.

Mais elétricos

Como referimos há pouco, até 2023 a Porsche quer que 50% dos seus modelos sejam 100% elétricos. Um objetivo que só poderá ser atingido se o modelo mais vendido da marca tiver uma variante elétrica.

Falamos do Porsche Macan. Com mais de 100.000 unidades/ano, o Porsche Macan tem sido uma das «galinhas dos ovos de ouro» da marca. Blume não descarta a possibilidade de até lá, o Porsche Macan ter uma gama 100% elétrica. Adeus motores de combustão!

E o Porsche 911?

Falámos do Porsche 911 em último lugar porque queríamos que sofressem – depois, num rebate de consciência colocámos aquela nota no início.

Pois bem, podem limpar o suor do bigode: o Porsche 911 vai continuar a ter uma dieta à base de gasolina. August Achleitner, responsável pelo desenvolvimento do 911, já afirmou que este modelo manter-se-á fiel às suas raízes. Isto é, o motor «flat-six» está a salvo.

No entanto, há informações divergentes quanto à possibilidade de o Porsche 911 vir a ter uma versão híbrida. Há quem afirme que vai haver um 911 Hybrid, há quem afirme que isso não está nos planos da marca para a próxima geração do 911.

Outros tempos.

Uma coisa é certa: o próximo 911 será mild-hybrid. Ou seja, terá soluções elétricas para melhorar a eficiência do motor de combustão.

Nos automóveis mild-hybrid sistemas elétricos como a direção assistida, ar-condicionado, travagem, etc., deixam de estar na dependência do motor de combustão e passam a ser da responsabilidade de um sistema elétrico de 48V.

Felizmente vamos poder continuar a assustar os “penduras” acima das 5.000 rpm.

August Achleitner
August Achleitner. É sobre os ombros deste homem que recai a responsabilidade de desenvolver o próximo 911.

E agora, mais calmos?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos