Segurança

Airbag para o passageiro: 30 anos a salvar vidas

Foi o Mercedes-Benz Classe S (W126) que introduziu no mercado não só o airbag para o condutor como o airbag para o passageiro.

Foi durante o Salão de Frankfurt de 1987 que a Mercedes-Benz introduziu o airbag para o passageiro dianteiro no Classe S (W126), após este ter também introduzido em 1981 o airbag para o condutor. Chegaria efetivamente ao mercado no início de 1988 e no outono desse mesmo ano seria o W124 – o futuro Classe E -, a recebê-lo.

Os testes de colisão confirmariam os benefícios do novo dispositivo de segurança passiva. A combinação do cinto de segurança de três pontos com o pré-tensor do cinto de segurança e a adição do airbag permitiam reduzir os riscos de ferimento no peito e na cabeça do ocupante dianteiro em cerca de um terço (33,33%).

Mercedes-Benz 560 SEL, Classe S W126

Airbag XL

No W126, o airbag dianteiro do passageiro seria instalado no porta-luvas e adicionaria mais cinco quilos de peso ao conjunto, contra três quilos do lado do condutor, que estava instalado no volante. A razão para o peso extra devia-se, sobretudo, à necessidade de um airbag com quase o triplo do tamanho – 170 litros contra os 60 do condutor -, para cobrir a maior distância entre a cabeça do passageiro e o airbag.

O sistema em si, no entanto, recorria aos mesmos componentes. Um sensor de impacto montado por cima da caixa de velocidades, um dispositivo de produção de gás no interior do airbag e um propulsor sólido – formado por pequenas esferas que se inflamavam para gerar uma mistura insuflando imediatamente o airbag. O formato da “almofada de ar” tinha sido otimizado para proteger o passageiro dianteiro de atingir o painel de instrumentos e o pilar A em caso de colisão.

Os benefícios deste dispositivo de segurança eram inegáveis e em 1994 já fazia parte do equipamento de série de todos os Mercedes-Benz.

Airbags, airbags por toda a parte

A introdução dos airbags dianteiros, para condutor e passageiro, seria apenas o início da história. A evolução tecnológica levou à miniaturização dos módulos que o constituem, o que levou à sua instalação noutras partes do automóvel.

Assim, o airbag lateral foi introduzido pela marca da estrela em 1995; em 1998 surgiu para os vidros laterais; em 2001 airbags laterais para a cabeça e tórax; em 2009 para os joelhos; em 2013 para a cabeça e pélvis, cintos de segurança e laterais dos bancos; e por fim airbags adaptáveis para condutor e passageiro com insuflação de dupla fase e retardador, dependendo da gravidade do impacto e da posição do banco no veículo.

 

 

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos