Desde 31 600 euros

Hyundai i30 SW: uma proposta verdadeiramente familiar

Tal como a versão berlina, a Hyundai i30 SW (carrinha) também deixou boas impressões. Uma proposta com sotaque alemão.

O foco da marca coreana no mercado europeu não poderia ser mais explicito: a conceção e desenvolvimento do Hyundai i30 é 100% europeu.

A Hyundai mudou-se de armas e bagagens para o “velho continente”. Na Alemanha, em Rüsselsheim, a marca coreana possui um centro de pesquisa e desenvolvimento, e em Nürburgring tem um centro dedicado a testes de fiabilidade e desenvolvimento – não só para desportivos, mas para todos os modelos da gama (a fiabilidade a isso obriga). Todos os modelos da marca comercializados na Europa são «castigados» no Inferno Verde. Quanto à produção, essa também acontece em solo europeu, mais precisamente em Nošovice, na República Checa.

O resultado final é aquele que podem conhecer nas próximas linhas. Um produto capaz de ombrear, e em alguns pontos até superar, as referências do segmento. Uma opinião repetida vezes sem conta junto da imprensa especializada, e à qual nós não somos exceção.

Carrinha? Com orgulho!

Quando testámos a versão berlina (5 portas) destacámos o conforto de rolamento e a saudável dinâmica de condução. O interior também convenceu pela robustez da construção e conforto geral. Nesta versão carrinha, será que essas qualidades se mantêm?

Hyundai i30 SW

A resposta é sim. O conforto de rolamento e a dinâmica apurada da versão 5 portas são características que podemos transpor ipsis verbis para a Hyundai i30 SW. Diferenças? Pouco significativas.

Uma vez mais, a qualidade de execução é elevada, e o resultado final é um produto muito homogéneo, sem defeitos verdadeiramente dignos desse nome. A nossa unidade, equipada com a versão mais «espigada» do motor 1.6 CRDi (136 cv), estava acoplada a uma caixa de dupla embraiagem 7DCT. Uma caixa que podia ser um pouco mais previdente em termos de software. Ainda assim, agradável de utilizar.

O motor

O motor, por outro lado, convence-nos pelas prestações, disponibilidade e suavidade. Pelos consumos nem tanto. Talvez fosse dos poucos quilómetros desta unidade – pouco mais de 1 200 quilómetros rodados. Os consumos conseguidos durante o nosso teste, sempre com cidade e vias rápidas à mistura, variaram entre os 6.8 e os 7.4 litros aos 100 km. Uma média que podia certamente baixar com uma tirada exclusivamente feita em estrada nacional – mas não contem com consumos recorde no segmento.

Continuando nos custos de utilização, há outras “contas” que importa ter em “conta”, para além do consumos naturalmente. Aos potenciais clientes que tomam as suas decisões de calculadora em riste, a Hyundai responde com 5 anos de garantia sem limite de quilómetros; 5 anos de assistência em viagem; e 5 anos de check-up’s anuais gratuitos.

Os modos de condução

Como começa a ser habitual no segmento, também a Hyundai i30 SW possui diversos modos de condução: Eco, Normal e Sport. O Eco é totalmente dispensável, apresentando diferenças de consumo mínimas para o modo Normal, e este último é bastante mais agradável de usar – no modo Eco o acelerador fica demasiado “insensível”.

O modo Sport até seria o favorito, mas o seu maior “estado de alerta” por vezes torna-se desadequado ao contexto, com as rotações do motor, em diversas situações, a manterem-se em regimes excessivamente elevados. Quando estamos em modo “faca nos dentes”, o modo Sport até faz sentido, mas não é esse o objetivo da Hyundai i30 SW.

De foco claramente familiar, visivelmente, a grande diferença da i30 SW para o i30 reside no volume traseiro, que se estende por mais 24 centímetros. Ainda que a competência do chassis e o acerto da direção por vezes peçam “vá lá… testa-me!”.

Espaço para (mesmo) tudo

O alongado volume traseiro permitiu ganhar bastante mais espaço na bagageira. O suficiente para se destacar da concorrência, assumindo-se como uma das maiores no segmento. São 602 litros, só suplantados (não por muito) pela Skoda Octavia Break (610 litros).

Para mais, a bagageira traz compartimentos de carga com divisórias abaixo do piso principal, e apresenta mais espaços de arrumação para pequenos objetos atrás das cavas das rodas traseiras. Acrescente-se ganchos de fixação, rede e até carris de alumínio para colocar diversos elementos de fixação – não falta nada para aquelas viagens com a tralha toda atrás.

Também os ocupantes do banco traseiro saem beneficiados relativamente ao carro, ao terem mais espaço em altura, consequência do prolongamento do teto. Sem dúvida que, se existe proposta que defenda bem a causa das carrinhas como melhores veículos familiares que os SUV da moda, a Hyundai i30 SW é uma delas.

Hyundai i30 SW - bagageira

Para o período de férias que se avizinha, a proposta da Hyundai parece ter os ingredientes certos. É confortável e revela um excelente nível de insonorização, vamos quase sempre mais rápido do que estávamos à espera “o quê? Já a 120 km/h?!”. O habitáculo encontra-se tão bem isolado – não só dos ruídos aerodinâmicos como das vibrações típicas dos motores Diesel – que não é difícil ser surpreendido por aquelas «fotografias surpresa» que custam (pelo menos) 120 euros.

Muito equipamento disponível

A Hyundai i30 SW testada era a Style, o nível de equipamento mais elevado. Trazia tudo e mais alguma coisa. Entre a vasta lista de equipamento destaca-se o carregador de smartphone sem fios (adeus carregadores!), o sistema de navegação com ecrã tátil de 8″, banco do condutor em tecido e pele e com regulação elétrica para apoio lombar, tomada de 12V na bagageira e consola central, entre outros (ver ficha técnica).

No que toca a equipamentos de segurança podemos encontrar o sistema de alerta de colisão dianteira, câmara traseira de assistência a manobras de estacionamento, sistema de manutenção na faixa de rodagem e sistema de alerta de fadiga do condutor.

O preço desta versão começa nos 31 600 euros. É a versão mais equipada, mais potente entre os Diesel e recorre a uma caixa de dupla embraiagem. Um preço bastante competitivo comparando com a concorrência, não só em termos de valor absoluto mas sobretudo em termos de equipamento.

Versão base: €31.592

IUC: €133

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1582 cm3
    • Posição: Dianteira Transversal
    • Carregamento: Injeção Direta, Common Rail, Turbo de Geometria Variável e Intercooler
    • Distribuição: 4 válvulas por cilindro, duas árvores de cames
    • Potência: 136 cv às 4000 rpm
    • Binário: 300 Nm entre 1750-2500 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Dupla Embraiagem de 7 Velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4585 mm / 1795 mm / 1465 mm
    • Distância entre os eixos: 2650 mm
    • Bagageira: 602 litros
    • Jantes / Pneus: 225/45 R17
    • Peso: 1415 kg
    • Relação peso/potência: 10,4 kg/cv
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 4,3 l/100 km
    • Emissões de CO2: 112 g/km
    • Vel. máxima: 198 km/h
    • Aceleração: 10,9 segundos
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 5 anos para Pintura, 12 anos para Anti-Corrosão
    • Intervalo de Revisões: 5 anos de Garantia
  • Equipamento
    • Carregador de Smartphone sem Fios (por indução)
    • Cruise Control com Limitador de Velocidade e Comandos no Volante
    • Sistema de Navegação com Ecrã Tátil de 8"
    • Espelhos Exteriores Ajustáveis Eletricamente com Aquecimento e Ângulo Amplo
    • Espelhos Exteriores Rebatíveis Eletricamente
    • Jantes de Liga Leve de 17"
    • Luzes de Circulação Diurna em LED
    • Apoio para Braços Traseiro com Suporte para Copos
    • Banco do condutor com apoio lombar de regulação eléctrica
    • Bancos em Tecido e Pele
    • Tomada de 12V na Consola Central e Bagageira
    • Volante Ajustável em Altura e Profundidade
    • Volante e Manípulo de Mudanças em Pele
    • AEB (Travagem Autónoma de Emergência) e FCWS (Sistema de Alerta de Colisão Dianteira)
    • Câmara de Estacionamento Traseira com Linhas de Guia Dinâmicas
    • HAC - Sistema de Ajuda ao Arranque em Subidas
    • LKAS - Sistema de Manutenção à Faixa de Rodagem
    • Sensores de Estacionamento Traseiros
    • Sinalizador de Perda de Pressão dos Pneus com Indicador do Pneumático Afetado
    • Sistema de Alerta de Fadiga do Condutor
    • Sistema de Controlo Automático dos Máximos (HBA)
Avaliação
8 / 10
O melhor Hyundai de sempre? Talvez. É sem dúvida, um forte candidato. Como carrinha que é, a i30 SW destaca-se precisamente pela sua capacidade de bagageira, entre as maiores do segmento. Bem construída, equipada e refinada, peca, por outro lado, pelos consumos acima da média. Antes de decidir-se pela caixa de dupla embraiagem, talvez não fosse má ideia experimentar primeiro a caixa de velocidades manual que é muito boa.
  • Espaço Bagageira
  • Insonorização
  • Equipamento
  • Consumos elevados
  • Software da caixa de dupla embraiagem

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos

Pub