Ensaio

Nissan Micra 0.9 I-GT Tekna: irreconhecível, para melhor

Tal é o salto do novo Nissan Micra para o seu antecessor, que mais vale esquecer que este existiu. No entanto, nem tudo é perfeito.

Nissan Micra, és mesmo tu? O que te aconteceu? A geração precedente – K13 – não deixou saudades. Produzida em países como a Tailândia e a Indonésia, a anterior geração do Micra viu as suas vendas decaírem acentuadamente no nosso continente, quando comparadas com as do seu antecessor, a geração K12.

Para a nova geração, K14, a Nissan não se poupou a esforços, mudando completamente a abordagem para reconquistar o seu lugar no segmento. Por incrível que pareça, o novo Micra recorre à mesma plataforma do antecessor – ainda que devidamente atualizada e esticada. Cresceu em comprimento, largura e distância entre eixos, mas é mais baixo. Quanto ao aspecto, bem, olhem para ele. De criatura sem graça e aspeto a roçar o “baratucho”, a uma das propostas mais espampanantes do segmento.

Um estilo marcado por linhas oblíquas, com superfícies expressivamente modeladas, transmitindo movimento de todos os ângulos em que é observado. Bastante mais ousado e expressivo que a generalidade das propostas concorrentes, e quando associado à cor vermelha “Passion Red”, como a nossa unidade, destaca-se grandemente da multidão. Para quem gosta de passar despercebido, o novo Nissan Micra pode não ser a melhor opção.

Estilo exterior obriga a compromissos no interior

A forte aposta no estilo trouxe, porém, alguns compromissos. Apesar de estar solidamente integrado no segmento B, com 3.99 m de comprimento e 1.74 m de largura, o espaço para os ocupantes traseiros é exíguo. Não só a porta traseira é algo estreita, como, quando sentados, as pernas ficam a roçar o banco do condutor (regulado para os meus 1.76 m de altura), e a cabeça fica demasiado próxima do teto. Curiosamente, a bagageira está em muito bom plano, com 300 litros de capacidade.

A visibilidade traseira sai igualmente prejudicada. O pilar C é demasiado largo e o óculo traseiro demasiado baixo. A nossa unidade vinha equipada com câmara traseira, equipamento que sai cada vez mais da esfera do gadget e passa a ser uma necessidade, facilitando sobremaneira as manobras de estacionamento.

À frente, cenário mais apelativo

Contrastando com os lugares traseiros, na frente estamos muito bem instalados. Facilmente encontramos uma boa posição de condução, graças às múltiplas regulações do banco e volante e o Nissan Micra, nesta versão, traz um interior bastante apelativo. Graças à opção de pacotes de personalização, o habitáculo ganha cor, cobrindo uma área considerável do painel de instrumentos e nos bancos.

A versão que testámos, Tekna, o nível de equipamento mais elevado, é bastante completa. Desde o Pack Segurança Plus que permitiu ao Micra atingir as cinco estrelas no Euro NCap, até ao sistema de áudio BOSE Personal® com dois altifalantes no encosto de cabeça do condutor. Passando também pela presença do ar condicionado automático, sistema de navegação 3D e pormenores como punho da caixa de velocidades e do travão de mão em pele. Mimos não faltam.

Apesar da generalidade dos materiais serem agradáveis ao toque, os ruídos parasitas já se faziam sentir, mesmo sendo uma unidade com poucos quilómetros. Nota para o ecrã tátil, que apesar de ser mais responsivo no seu uso do que em outros modelos da Nissan, já está na altura de rever não só os gráficos do sistema de infoentretenimento, como a informação presente em algumas das páginas, que se revelam insuficientes.

Ao volante

O que se pode concluir é que existe uma clara dissonância entre a aparência do Nissan Micra e a sua condução. O estilo dinâmico, ajudado pelos pneus de 205/45 que envolvem as jantes de 17 polegadas prometem uma experiência de condução bem mais acutilante do que aquela que efetivamente obtemos.

Nissan Micra IG-T Tekna

Não que o Micra seja mal comportado. Níveis de aderência satisfatórios, bom controlo dos movimentos da carroçaria, boa capacidade de absorção das irregularidades e comportamento geral previsível e eficaz. Mas não cativa. Os comandos, por exemplo, podiam ser mais responsivos.

O novo Micra não é, de todo, o carro mais interessante de conduzir.

O motor também não ajudou na apreciação. Sim, no geral, o pequeno três cilindros turbo de 90 cavalos cumpre. Mas a resposta é algo inconstante. Por vezes, quando em tráfego mais intenso, parece hesitar em subir de regime, gerando alguns “solavancos”. Também não vale a pena explorar os regimes mais elevados do três cilindros, não trazendo grande satisfação nem a performance esperada.

Os consumos variaram bastante durante a estadia do Nissan Micra connosco. Numa primeira fase o Micra raramente circulou fora das horas de ponta, pelo que os 8.7 litros aos 100 km revelaram-se algo assustadores. Quando houve oportunidade de “esticar as pernas” ao Micra, adicionando outros cenários ao “mix”, verificámos consumos entre os 5.6 e os 7.0 litros aos 100 km, que nos parecem bastante mais razoáveis.

Tem tudo para ser bem sucedido

O novo Nissan Micra aponta diretamente ao centro do segmento B e revestiu-se dos argumentos necessários para reconquistar, sem medos, um lugar no segmento B que outrora foi seu – recordamos que o Micra chegou a ser Carro do Ano em Portugal há mais de 20 anos.

Os extras atiram o preço para valores menos atrativos (muito menos) do que as versões base – a unidade testada ascende aos 19.080€ – mas compensa com funcionalidades para todos os gostos. Exceptuando a habitabilidade traseira que poderá ser insuficiente para uma jovem família, o Nissan Micra revelou-se uma proposta bastante homogénea.

Ficha técnica
Nissan Micra IG-T EU6 90 CV TEKNA

Preço

unidade ensaiada

19.080

Versão base: €18.200

IUC: €100

Classificação Euro NCAP: 5

  • Motor
    • Arquitectura: 3 cilindros em linha
    • Capacidade: 898 cm3
    • Posição: Transversal Dianteira
    • Carregamento: Injecção Multiponto, Turbo
    • Distribuição: 4 válvulas por cilindro, duas árvores de cames
    • Potência: 90 cv às 5500 rpm
    • Binário: 140 Nm às 2250 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de 5 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 3999 mm / 1743 mm / 1455 mm
    • Distância entre os eixos: 2525 mm
    • Bagageira: 300 litros
    • Jantes / Pneus: 205/45 R17
    • Peso: 1076 kg
    • Relação peso/potência: 11.95 kg/cv
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 4.6 l/100 km
    • Emissões de CO2: 104 g/km
    • Vel. máxima: 175 km/h
    • Aceleração: 12.1 seg dos 0-100 km/h
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 Anos para Pintura e 12 anos de Garantia Anti-Corrosão
    • Intervalo de Revisões: 3 anos de Garantia ou 100 000 km
  • Equipamento
    • Pack Segurança Plus: Sistema anti-colisão frontal com deteção de peões ,Regulador automático das luzes de máximos, Aviso e prevenção de mudança involuntária de faixa e Indentificador de sinais de trânsito
    • Sistema de áudio BOSE Personal
    • Câmara Visão 360
    • Jantes em liga leve 17” ONYX
    • Sensores de estacionamento traseiros
    • Ar condicionado automático
    • Volante, Punho da Caixa de Velocidades e Travão de mão em pele
    • Espelhos retrovisores elétricos e aquecidos
    • Aviso de ângulo morto e Deteção de objetos em movimento
    Extras
    Pintura "Passion Red", Interior "Inspiring Red"
Avaliação
7 / 10
O novo Nissan Micra não podia estar mais diferente, e para melhor. Destaca-se sobretudo no estilo, apesar de obrigar a alguns compromissos. A visibilidade como a habitabilidade traseira são insuficientes, mas a bagageira está num bom nível. O interior, tal como o exterior, impressiona. A nossa unidade, Tekna, não só é a mais equipada, como os opcionais que trazia em muito contribuíram para a agradabilidade interior, mesmo puxando o preço para o limite do razoável. O Nissan Micra é confortável e cumpre dinamicamente, mas o impacto visual criava outro tipo de expetativas. Sobretudo o motor, que revelou-se algo inconstante na resposta e não muito energético. No geral, uma proposta homogénea, capaz de ombrear com as referências do segmento.
  • Estilo
  • Mala
  • Equipamento
  • Habitabilidade traseira
  • Motor

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos

Pub