Antevisão

O Fiat Argo poderá ser o substituto do Fiat Punto?

O novo Fiat Argo substituiu o Palio e o Punto na América do Sul, estreando uma nova plataforma e leque de motores. Será este o substituto do Fiat Punto na Europa?

Ainda se lembram do Fiat Punto? Sim, o modelo lançado em 2005 como Grande Punto, depois Punto Evo e agora simplesmente Punto. Aparte das diferentes denominações, a atual geração do Fiat Punto celebra este ano o seu 12º aniversário, o equivalente a duas gerações de modelos na concorrência. Um modelo que chegou a estar entre os mais vendidos no mercado europeu, com um pico de mais de 400 mil unidades vendidas em 2006. O ano passado vendeu pouco mais de 60 mil unidades.

Já há muito que este modelo pede um sucessor, mas até agora, nem um pequeno vislumbre. E porquê? Em uma palavra: a crise. A crise internacional que rebentou no final da década passada fez com que o mercado europeu retraísse em quatro milhões de automóveis vendidos ao ano e provocou uma feroz guerra de preços entre os diversos construtores. Houve uma delapidação brutal nas margens dos construtores e, naturalmente, seriam os segmentos mais baixos os mais prejudicados.

O Fiat Punto, caso a sua carreira comercial seguisse o rumo natural, deveria ter tido um sucessor algures em 2012, precisamente no pico da crise de vendas e rentabilidade do mercado automóvel. Sergio Marchionne, o CEO da FCA, tomou a decisão de não o substituir, pois estaria a injetar doses massivas de recursos financeiros num projeto que não iria trazer retorno à marca.

Em vez disso, desviou (e bem) recursos para a Jeep e Ram, e também para projetos como o Chrysler 200 e Dodge Dart (menos bem). E ainda teremos de aguardar o veredicto sobre a decisão na aposta de alto risco chamada Alfa Romeo.

Estamos em 2017 e a crise já lá vai. Nos últimos 3-4 anos assistimos a uma recuperação do mercado europeu, que regressou aos níveis pré-crise. Não estaria na altura de ver um sucessor para o Punto? Historicamente, este foi sempre dos segmentos mais fortes da Fiat, mas a marca italiana, para lá de algumas declarações especulativas, parece ter esquecido o Punto. O Panda e o 500 têm dado muito boa conta de si, é certo, até desafiando as leis do mercado com o 500 – 10 anos no mercado e 2017 promete ser o seu melhor ano de vendas -, mas falta uma presença mais sólida num dos segmentos de maior volume na Europa.

O projecto X6H

Entretanto, no outro lado do Atlântico, no Brasil, saíram rumores nos últimos anos de que um novo modelo, conhecido internamente como X6H, substituiria de uma assentada o Palio e o Punto. Convém notar que o Fiat Punto brasileiro, para lá do nome e aparência, nada tem a ver com o Punto europeu. Deriva da base do Palio, enquanto o Punto europeu deriva da base Small (SCCS), desenvolvida em comum com a GM, que foi usada também pelo Opel Corsa D, Corsa E e Adam.

De rumor a rápida confirmação, conhecemos, recentemente, o novo Fiat Argo. Direccionado ao âmago do segmento B, o Argo estreia uma nova plataforma modular, ou melhor, quase nova. A MP1, como é denominada, deriva e conserva 20% da plataforma do Punto brasileiro, que por sua vez deriva da “eterna” plataforma sul-americana da Fiat que vem do primeiro Palio da década de 90. A novidade passa por se referirem à MP1 como uma plataforma global, da qual derivarão mais modelos, confirmando-se para já uma berlina de três volumes (X6S).

Fiat Argo

O Fiat Argo estreia não só a MP1, como também novos motores. Denominados Firefly, correspondem a uma família modular de motores a gasolina, com três e quatro cilindros, com 1000 e 1300 cm3 respectivamente. Estes motores vão chegar à Europa e serão inclusivamente produzidos cá, nas instalações da FCA Powertrain em Bielsko-Biała, na Polónia. O três cilindros será o primeiro a chegar, com a produção a começar em 2018.

Visualmente, o Argo aproxima-se do Fiat Tipo, com dimensões típicas do segmento – 4.0 m de comprimento e 1.75 m de largura. Segundo a imprensa brasileira, apresenta bons índices de habitabilidade e bagageira (300 litros), superiorizando-se ao Punto (brasileiro) em diversos aspectos.

Poderá o Fiat Argo substituir o Fiat Punto na Europa?

O Argo foi desenvolvido, sobretudo, para as necessidades do mercado sul-americano e, por acréscimo, o indiano. Na Índia, o Punto também é comercializado, tendo muito em comum com o Punto brasileiro. A produção local permitiu que recebesse uma nova frente e até uma variante crossover, chamada Avventura. O Argo deverá substituir o Punto na Índia mais para o final da década.

Mas o mercado europeu é outra história. Será que a concepção do Argo teve em consideração o mais exigente mercado europeu? A resposta, de momento, não é definitiva. Rumores recentes indicam que está em avaliação a adaptação do Argo para a Europa. Nessa adaptação o foco está no cumprimento dos mais exigentes níveis de segurança ativa e passiva europeus. Poderá implicar alterações estruturais, como o recurso a uma maior quantidade de aços de alta resistência, como o adicionar de equipamentos eletrónicos de segurança.

Em paralelo, e oficialmente, sabe-se que dentro de 12 meses a fábrica de Pomigliano, no sul de Itália, onde o Panda é produzido, deverá receber um novo modelo. E pode não ser o sucessor do Panda – que poderá ser substituído em 2018 -, pois alguns rumores indicam que a produção deste regressará a Tychy, na Polónia, juntando-se novamente ao Fiat 500. Naturalmente, especula-se que Pomigliano possa ser o local de produção do novo Punto, que segundo os rumores, poderia ser apresentado já em 2018.

Fiat Argo

De momento, as probabilidades de o Fiat Argo substituir o Punto parecem jogar a seu favor. Mas será o Argo a melhor solução? Só o tempo o dirá…

Mais artigos em Notícias