Novo Kia Stinger brilha no Salão de Genebra

O Kia Stinger assinala um novo capítulo na história da Kia. Uma aposta da marca sul-coreana que pretende intrometer-se entre as referências alemãs.

A Razão Automóvel esteve, no final de janeiro, na premiere europeia do novo Kia Stinger. Este reencontro em Genebra permitiu confirmar a validade das intenções da Kia com o Stinger, que terá como rivais potenciais os BMW Série 4 Gran Coupé e o Audi A5 Sportback.

LIVEBLOG: Acompanha aqui o Salão de Genebra em direto

Para enfrentar rivais estabelecidos com o peso dos símbolos BMW e Audi, a Kia não se poupou a esforços. O Stinger adota traços mais esguios e próprios de um coupé – o erroneamente denominado coupé de quatro portas. As boas proporções são um reflexo da sua arquitetura: um clássico motor frontal longitudinal com tração traseira. Promete!

As linhas são dinâmicas e assumidamente desportivas. O design ficou a cargo de Peter Schreyer, ex-designer da Audi, e – estreia absoluta para um designer automóvel -, um dos atuais presidentes da Kia. Atualmente, é também o responsável máximo de design de todas as marcas do Grupo Hyundai.

Embora seja um modelo de carácter assumidamente desportivo, a Kia garante que as cotas de habitabilidade não foram prejudicadas. As dimensões generosas do Stinger colocam-no no topo do segmento: 4.831 mm de comprimento, 1.869 mm de largura e uma distância entre eixos de 2.905 mm.

TESTADO: Desde 15.600€. Já conduzimos o novo Kia Rio em Portugal

Se no design exterior não há dúvidas que a Kia já definiu muito bem o seu ADN, o mesmo não acontece no interior.

Como já referimos antes, a perceção com que ficámos é que o Kia Stinger foi beber inspiração a Estugarda, nomeadamente à Mercedes-Benz. Destaque para o ecrã tátil de 7 polegadas, que reclama para si a maior parte dos comandos, bancos e volante revestidos em pele e a atenção aos acabamentos.

O modelo mais rápido de sempre da Kia

Vamos ao que interessa. O Kia Stinger “puxa” atrás, o que por si só já é um motivo de celebração. E temos bons motivos para acreditar que em termos dinâmicos o Stinger vai dar cartas à concorrência. No capítulo dinâmico a Kia foi “roubar” à concorrência um dos melhores quadros da indústria automóvel. Falamos de Albert Biermann, ex-responsável pelo departamento M Performance da BMW.

O título de Kia mais rápido de sempre, é cortesia do V6 turbo de 3.3 litros, com 370 cv e 510 Nm. A transmissão, nesta versão, será efetuada às quatro rodas através de uma caixa automática de oito velocidades. Permite acelerações dos 0 aos 100 km/h em apenas 5.1 segundos e uma velocidade máxima de 269 km/h.

O mercado europeu contará com motorizações mais acessíveis. O best-seller deverá ser o Stinger Diesel 2.2 CRDI, que debita 205 cv e 440 Nm de binário. A complementar a gama existe um propulsor a gasolina: um 2.0 turbo com 258 cv e 352 Nm.

A chegada do Kia Stinger a Portugal está prevista para o último semestre do ano.

Todas as novidades do Salão de Genebra aqui

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos