Desde 15.600€. Já testámos o novo Kia Rio

Fomos até à Serra de Sintra conhecer os argumentos da nova proposta da Kia para o segmento B: o renovado Kia Rio.

Depois da revelação mundial na «cidade luz», a Kia escolheu as paisagens portuguesas para a apresentação aos jornalistas de todo o mundo da sua nova proposta para o segmento B: o Kia Rio. E, em boa verdade, não poderia ter escolhido um local mais apropriado: além do clima, da oferta hoteleira e das belíssimas estradas nacionais, o Kia Rio representa 35% das vendas da marca em Portugal, uma percentagem que tem vindo a crescer de ano para ano.

Nesta quarta geração, a gama disponível para o mercado nacional é a maior de sempre – quatro motorizações e quatro níveis de equipamento – para fazer frente às referencias do segmento: Renault Clio, Peugeot 208 e Volkswagen Polo. Será que o novo Kia Rio tem o que é preciso?

Por fora, não temos dúvidas em afirmar de que se trata de uma verdadeira evolução face ao modelo anterior. A carroçaria com linhas mais retas, a grelha “nariz de tigre” integrada nos grupos óticos e a traseira mais direita fazem do novo Rio um modelo mais robusto. Esta nova geração é 15 mm mais comprida e 5 mm mais baixa que o seu antecessor.

O aumento geral das dimensões do carro reflete-se no espaço interior – a Kia reclama “o habitáculo mais espaçoso da classe”. Mas o espaço para os passageiros do banco de trás e o acréscimo de 37 litros de capacidade de bagageira são apenas alguns dos argumentos do novo Kia Rio.

Mais à frente, o ecrã embutido na consola central foi substituído por um ecrã tátil flutuante de 5 polegadas (o ecrã de 7 polegadas só vai estar disponível no final do ano), que permite a integração de smartphones através dos já conhecidos Apple CarPlay e Android Auto.

A gama Kia Rio é constituída pelos níveis de equipamento LX, SX, EX, TX, sendo que os fundamentais sistemas de segurança encontram-se logo na base. Comum aos quatro patamares de equipamento estão elementos como a tecnologia Bluetooth, ligação USB, ar condicionado, cruise control com limitador de velocidade, sensor de luz ou o computador de bordo, entre outros. Nos níveis intermédios já é possível aceder à câmara de estacionamento traseiro, para além das luzes diurnas em LED e faróis direcionais.

Primeiras impressões

O novo Kia Rio vai estar disponível em Portugal com três motorizações: 1.2 CVVT de 84 cv, 1.0 T-GDI de 100 cv e 1.4 CRDI de 77 cv ou 90 cv de potência, inicialmente equipados com uma caixa manual de 5 ou 6 velocidades – transmissão automática vai estar disponível em breve.

Com o leque completo de motorizações à nossa disposição, arrancámos para a Serra de Sintra com a versão Diesel 1.4 CRDI de 90 cv. Aqui, nota-se a atenção especial no isolamento acústico do habitáculo, nas vibrações e na aerodinâmica, que segundo a marca melhoraram em 4%. Sem surpreender, esta versão também não desilude: a condução é agradável e o motor competente em todas as faixas de rotação. Sabendo que este dificilmente seria o sítio ideal para fazer consumos recorde, no final o painel de instrumentos acusava valores na casa dos 6 l/100 km.

Depois do merecido descanso, partimos em direção ao Guincho com a versão 1.2 CVVT de 84 cv, e mais uma vez foi possível comprovar as qualidades de um motor que já conhecíamos da anterior geração. O percurso foi curto, porque em boa verdade as nossas atenções já só estavam focadas no novo bloco 1.0 T-GDI de 100 cv, um bloco da mais recente geração de motores da marca e que faz a sua estreia no novo Rio.

Este motor turbo tricilíndrico com injeção direta permite de facto imprimir andamentos mais vivos: os 100 cv de potência estão disponíveis às 4500 rpm e os 172 Nm de binário máximo entre as 1500 e 4000 rpm. Por outro lado, consegue ser suave e flexível em ambientes mais urbanos, sem descurar da eficiência.

Com o Circuito do Estoril ali tão perto, a Kia não resistiu a convidar-nos para uma sessão de testes – não, não fizemos uma volta completa em modo «flat-out», mas não foi por falta de vontade. Em vez disso, pudemos também comprovar as melhorias dinâmicas deste utilitário num exercício que colocou à prova o chassis, a direção e a suspensão do novo Rio. Mesmo com o piso ligeiramente molhado, nota-se o esforço por parte dos engenheiros da Kia em tornar a direção mais leve e precisa e o chassis mais rígido. No final, houve ainda tempo para testar as finalizações à boca da baliza:

Voltando à pergunta inicial, e em jeito de conclusão: será que o novo Kia Rio tem o que é preciso para fazer frente às referências do segmento? Acreditamos que sim. Sem ser excecional em nenhum aspeto em particular, o Kia Rio acaba por cumprir em todos os capítulos: um modelo com um design exterior e interior atrativo, mais equipamento de série e um leque de motorizações competente, ao que acresce ainda os 7 anos de garantia.

O novo Kia Rio começa a ser comercializado no nosso país na segunda quinzena de março, com preços a partir dos 15.600 € para as unidades a gasolina e 19.500 € nos Diesel.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Testes

Os mais vistos

Pub