Álcool

Há mais de 120 anos que foi multado o primeiro condutor por excesso de álcool

A primeira multa por condução sob efeito do álcool aconteceu há mais de 120 anos, em 1897, para ser mais preciso. Conhece a história de George Smith.

Estávamos no final do século XIX, mais propriamente em 1897. Por esta altura, circulavam na cidade de Londres apenas algumas centenas de veículos, entre os quais o táxi elétrico — sim, uma frota de táxis elétricos já circulava no centro de Londres no séc. XIX — de George Smith, um jovem londrino de 25 anos que, passados todos estes anos, viria a ficar conhecido não pelos melhores motivos.

No dia 10 de setembro de 1897, George Smith embateu contra a fachada de um edifício na New Bond St, tendo ficado seriamente danificado. Visivelmente embriagado, o jovem foi levado para a esquadra por uma das testemunhas presentes no local. Mais tarde, George Smith admitiu a culpa pelo acidente. “Bebi duas ou três cervejas antes de conduzir”, confessou.

Ao deparar-se com esta situação, sem qualquer precedente, a polícia libertou George Smith e obrigou-o a pagar uma multa de 20 xelins — um valor avultado para a época.

VÊ TAMBÉM: Arnold Benz, o primeiro automóvel a apanhar uma multa de velocidade

Embora já se suspeitasse dos efeitos do álcool na condução, na altura não havia ainda uma forma de medir objetivamente os níveis de álcool no sangue. A solução só viria a aparecer mais de 50 anos depois com o Breathalyzer, que funciona de forma semelhante ao sistema vulgarmente conhecido por “balão”.

Hoje em dia, milhões de condutores são multados todos os anos pela condução sob efeito do álcool, que continua a ser uma das principais causas de acidentes rodoviários.

E já sabem… se conduzirem, não bebam. Não façam como o George Smith.

RELACIONADO: A partir de 2022 carros novos vão ter de ter limitador de velocidade

Mais artigos em Clássicos