Combustíveis

O meu carro tem mais rendimento com gasolina 98: verdade ou mito?

Se a gasolina recomendada para teu carro for de 95 octanas, ele não vai andar mais por usares gasolina 98. É um mito e nós explicamos porquê.

Já todos nós ouvimos pelo menos uma vez na vida alguém afirmar com toda a veemência que o seu “carro anda mais com gasolina de 98 octanas do que com a gasolina de 95 octanas” e que quando usa gasolina 98 até sente “um trabalhar diferente!”. Normalmente, essa sensação não corresponde à realidade. Se estivermos a falar de modelos utilitários ou familiares, usar gasolina 98 ou 95 é “igual ao litro”.

Na maioria dos carros, usar uma ou outra, não faz diferença nenhuma no rendimento. Além do mais, com um preço por litro 15 cêntimos mais caro na gasolina 98, faz sentido usar este combustível num carro cujo combustível recomendado é gasolina 95? Não. Mas vamos desmontar o mito em torno da gasolina de 98 octanas de forma fundamentada.

Afinal, o que representam as octanas?

Octanagem ou índice de octano representa a capacidade de resistência à detonação dos combustíveis usados em motores de ciclo Otto (tais como gasolina, álcool, GNV e GPL) quando comparado com o isoctano (fonte: Wikipédia).

O índice faz relação de equivalência à resistência de detonação de uma mistura percentual de isoctano e n-heptano. Assim, uma gasolina de 98 octanas apresenta resistência de detonação equivalente a uma mistura de 98% de isoctano e 2% de n-heptano. Uma gasolina com índices de octano superiores a 100 significa que já ultrapassou por meio de aditivos (MTBE, ETBE) a resistência à compressão do isoctano — exemplos: gasolina de aviação (avgas) e competição).

Porque é que existem gasolinas com diferentes octanas?

Porque nem todos os motores são projetados da mesma forma. Os motores dos carros desportivos recorrem a taxas de compressão mais elevadas (de 11:1 em diante) — ou seja, comprimem num menor volume a mistura de ar e gasolina — daí que seja necessária uma gasolina que consiga resistir por mais tempo à compressão do motor sem explodir. Assim, para motores com taxas de compressão mais elevadas, são sempre recomendados combustíveis com maior índice de octano.

Todo o ciclo de combustão do motor é calculado tendo em consideração um nível de octanas recomendado. Portanto, se colocares gasolina 95 num motor projetado para receber gasolina 98, o que vai suceder é que a gasolina vai explodir antes do êmbolo atingir o ponto máximo de compressão. Resultado: vais perder rendimento! Se for o inverso (colocar gasolina 98 num motor projetado para gasolina 95) a única consequência é que gastaste mais dinheiro para os mesmo litros de combustível, porque em termos de rendimento o ganho é nulo.

Resumindo, é um mito

Os únicos automóveis que tiram partido da gasolina de 98 octanas são aqueles que têm taxas de compressão elevadas — como já dissemos, regra geral são os desportivos. São apenas estes que tiram realmente partido deste combustível e que necessitam dele para o seu correto funcionamento e garante de fiabilidade. Como deves calcular, a maior parte dos carros a gasolina não necessita deste combustível. Se achas que o teu utilitário ou familiar anda mais por usar gasolina 98 fica a saber que é só uma sugestão do teu cérebro.

Mas se o teu automóvel recomenda a utilização de gasolina 98 é essa que deves usar. Também podes abastecer com gasolina de 95 octanas, mas notarás uma perda de rendimento e um aumento do consumo de combustível que pode anular a vantagem que conseguiste no momento da aquisição do combustível.

Como é que sei que gasolina usar?

Naturalmente não precisas de saber qual é a taxa de compressão do motor do teu carro, basta consultares o manual de utilização ou em alternativa procurar o autocolante (presente na tampa de combustível) com a indicação do combustível a usar.

Concluindo: a menos que o motor do teu carro esteja preparado para receber gasolina 98 nunca vais sentir nenhuma diferença se apenas usares gasolina 95. A diferença está no preço…

Mais artigos em Autopédia