Se a Seleção Nacional tivesse quatro rodas…

… era um UMM. Porquê? É isso que vamos tentar explicar nas próximas linhas.

Depois de termos dado 4-0 ao Resto do Mundo neste artigo, a Razão Automóvel volta às analogias com o futebol. Tudo porque Portugal sagrou-se ontem Campeão da Europa de Futebol ao vencer a Seleção Francesa por 1-0. À boa maneira portuguesa, fizemo-lo de forma suada. Valeu-nos a força! Fomos o UMM deste Europeu.

À semelhança do jipe de produção nacional (que curiosamente equipava com motor francês), não fomos os mais rápidos, não fomos os que mais marcaram, e assentamos toda a nossa performance na constância, na fiabilidade e na capacidade de superar os obstáculos mais íngremes. Tal e qual como o UMM. Sem vedetismos e sempre pautados pela humildade dentro e fora de campo – também o UMM era um jipe humilde por dentro e por fora.

euro-2016-teams-get-matching-cars

Contra o possante e rápido Bugatti Chiron da Seleção Francesa, Portugal respondeu com a resiliência do UMM – uma espécie de recriação da famosa fábula da “Lebre e da Tartaruga” em versão automóvel. Quando a gasolina começou a faltar ao potente motor francês, Portugal engrenou as redutoras, e a vitória chegou de forma tardia mas chegou! – tivemos de esperar até aos 108 minutos do prolongamento pelo ponta-tacão do Éder.

Naturalmente, esta analogia faz-se em referência ao espírito de equipa e entreajuda da nossa Seleção, porque se fosse em referência ao valor individual dos nossos jogadores, então não nos faltavam superdesportivos na equipa… Uma última palavra para o mecânico Fernando Santos, não tivesse ele afinado tão bem todas as peças do nosso UMM e a vitória não teria sido possível.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Crónicas

Os mais vistos

Pub