Carro autónomo da Tesla vai trabalhar para ti enquanto dormes

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Carro autónomo da Tesla vai trabalhar para ti enquanto dormes

Quem o diz é o próprio Elon Musk, no seu projeto para o futuro da empresa americana.

Uma década depois de divulgar ao mundo a primeira parte do plano de futuro para a Tesla, Elon Musk apresentou recentemente a segunda parte do seu master plan. O plano consiste em quatro objetivos bastante ambiciosos: democratizar o carregamento através de painéis solares, expandir a linha de veículos elétricos para outros segmentos, desenvolver uma tecnologia de condução autónoma dez vezes mais segura que a atual e… tornar o carro autónomo numa fonte de rendimento enquanto não o estamos a usar.

À primeira vista, parece apenas mais uma ideia rocambolesca de Elon Musk, mas como muitas outras, não temos dúvidas que o magnata norte-americano fará tudo para tornar o sonho realidade. Se dúvidas houvesse, Musk quer mesmo mudar todo o sistema de mobilidade.

tesla autopilot

RELACIONADO: O que vai ser do futuro dos carros não autónomos? Elon Musk responde

Como é natural, uma viatura pessoal é utilizada durante uma pequena parte do dia. De acordo com Elon Musk, em média, os carros são utilizados durante 5 a 10% do tempo, mas com os sistema de condução autónoma, tudo isso irá mudar. O plano é simples: enquanto estivermos a trabalhar, a dormir ou até de férias, será possível transformar o Tesla num táxi completamente autónomo.

Tudo é feito através de uma aplicação móvel (quer para os proprietários, quer para quem irá usufruir do serviço), à semelhança da Uber, Cabify e de outros serviços de transportes. Nas zonas em que a procura excede a oferta, a Tesla irá operar com a sua própria frota, garantindo sempre o funcionamento do serviço.

Neste cenário, a receita para cada proprietário de um Tesla poderia até exceder o valor da prestação do carro, o que reduz drasticamente o custo de propriedade e que no limite permitiria a que toda a gente “pudesse ter um Tesla”. No entanto, tudo isto estará dependente da evolução dos sistemas de condução autónoma e da legislação, resta-nos esperar!

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias