Conhece o novo «papa-reformas» português

Chamar-lhe «papa-reformas» é redutor, o E01 é muito mais do que isso. Conhece este projecto de um estudante português que quer rivalizar com as grandes marcas.

Emanuel Oliveira é um estudante de design do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro que tem tanto de ambicioso como de talentoso. Este estudante, decidiu fazer da sua tese de mestrado em Engenharia e Design de Produto um verdadeiro automóvel. Assim nasceu o E01, um microcarro que pretende trazer para as estradas portuguesas um pouco daquilo que será o futuro da indústria automóvel. Nota final? 19 valores.

O projecto, desenvolvido sob a orientação dos docentes Paulo Bago de Uva e João Oliveira, passa por uma aposta na inovação estrutural do veículo. De acordo com Emanuel Oliveira, a complexidade dos métodos actuais utilizados pela indústria automóvel “reflete-se nos custos de produção”.

Com quase 2,5 metros de comprimento e apenas 1,60 de altura, o E01 contraria a tendência das propostas concorrentes no mercado, que na sua generalidade, segundo o estudante, são marcadas por formas bastante regulares e retilíneas. A inspiração para este modelo elétrico surge nos elementos naturais – apelidado de «biodesign» – o que faz com que o chassis e a carroçaria se conciliem num só elemento, mas sem abdicar da versatilidade.

A NÃO PERDER: Estas 11 marcas de automóveis são portuguesas. Conheces todas?

“Desde a possibilidade de transportar quatro pessoas ao rebatimento dos bancos traseiros, permitindo o aumento do espaço destinado ao acondicionamento de carga, todos os aspetos foram pensados para se criar um veículo de caráter utilitário urbano para utilizações em curtas e médias distâncias”

Em termos estéticos, a proposta revela-se diferenciada da concorrência dada a sua simplicidade formal, a sensação de segurança e as amplas superfícies vidradas, que modificam por completo não só o aspeto, como ainda o ambiente no interior do veículo”.

Emanuel Oliveira

As grandes áreas transparentes, pára-brisas e janelas amplas permitem não só a passagem de luz exterior para o habitáculo como a aplicação de painéis fotovoltaicos que aumentam a autonomia do próprio veículo. O E01 integra ainda “portas tesoura” (abertura vertical) e bancos traseiros rebatidos.

VEJAM TAMBÉM: Portugueses são dos menos interessados em carros autónomos

Mesmo tendo em consideração a concorrência já existente no mercado – Smart Fortwo, Renault Twizy e os próprios microcarros “papa-reformas” (entre outros) – Emanuel Oliveira considera que há espaço para o E01: “Todos apresentam falhas, ora pelo elevado preço, ora por razões de segurança e versatilidade de uso, ou até mesmo questões estéticas”.

Quanto às motorizações, o E01 recorre a um motor elétrico ligado às rodas traseiras, com o posicionamento das baterias no chão do veículo que “melhora o desempenho, performance e comportamento em utilização”.

Emanuel Oliveira afirma que o objectivo passa por avançar para a produção do veículo, referindo que há em Portugal diversos aglomerados tecnológicos dedicados à produção de componentes para automóveis que poderão convergir. “Será necessário investimento financeiro, sendo que o know how está assegurado não só por esta investigação, bem como por outras de diversas áreas dentro deste tema, e ainda pelos profissionais que integram esta indústria, pretendendo esta investigação dar algum contributo adicional”.

 

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos