Circuito de Vila Real

Vitória da Citröen em Vila Real e frustração para Monteiro

A primeira corrida foi definitivamente menos agitada do que a corrida da tarde, com o coração dos adeptos lusos a sofrerem logo no arranque.

Na prova portuguesa do WTCC, Tiago Monteiro ficou pelo caminho no ínicio da 2ª corrida e a vencedora foi a Citröen, com o chinês Ma Qing Hua aos comandos do Citroen C-Elysée a levar o primeiro lugar e Muller o 2º.

A direção da corrida dava por terminada a prova três voltas antes do esperado. Tinha sido uma corrida marcada por vários acidentes, uma série de três inaugurada pelo português Tiago Monteiro (Honda Civic). Nós estivemos lá e pudemos confirmar a tristeza dos adeptos perante o acidente que afastou Tiago Monteiro.

Yvan Muller (Citröen C-Elyseée) e o italiano Gabriele Tarquini (Honda Civic) conseguiram escapar à confusão e completar o pódio atrás de Ma Qing Hua. O piloto volante conseguiu em Vila Real a 2ª vitória da sua carreira.

De acidente em acidente até à bandeira vermelha

As dificuldades sentidas pelos pilotos na corrida da manhã “subiram de tom” durante a tarde, principalmente porque a pressão era muito alta. Com Vila Real a não dar oportunidades de ultrapassar, andavam todos à procura do erro.

Foi Tiago Monteiro o primeiro a ser afastado, o português, que partiu do 5º lugar, ia pressionado para conseguir uma boa partida, fator decisivo neste traçado. Ao tentar “encaixar” o Honda Civic entre os Lada Vesta dos holandeses Nick Catsburg e Jaap Van Lagen, Tiago não conseguiu evitar o acidente. A prova foi neutralizada durante quatro voltas, o tempo necessário para retirar o Honda do local. Por esta altura a Citröen mantinha a liderança com Ma Quin Hua e Muller a ocupar o primeiro e segundo lugares, respetivamente.

acidente Tiago Monteiro-8

O holandês Nick Catsburg seguia na 3ª posição e mais lento do que o comboio que o seguia, composto por Gabriele Tarquini, Norbert Michelisz (Honda Civic), Sebastien Loeb (Citroen C-Elysée) e Jose Maria Lopez (Citroen C-Elysée). Na 10ª volta, uma entrada mais larga de Catsburg deu espaço a Tarquini para tentar a ultrapassagem, seguiram-no Michelisz e Loeb, mas um toque acabaria por colocar a lenda dos ralis fora da prova em Vila Real.

À 12ª volta Nick Catsburg (Lada) embateu violentamente nos rails na descida de Mateus. Os destroços que ficaram espalhados pela pista levaram a direcção de prova a decidir mostrar a bandeira vermelha.

Nas declarações após a corrida, Ma Qing Hua agradeceu à equipa “Pelo excelente trabalho feito, ontem, quando o objectivo foi o de assegurar a ‘pole’ para a segunda corrida. Fiz uma boa partida e voltei a subir ao lugar mais alto do pódio. Não sei o que se passou atrás de mim e a minha única preocupação foi manter-me concentrado atrás do ‘safety car’, para poder ganhar avanço. Quando me disseram que a corrida tinha acabado foi fantástico. A minha vitória numa prova campeonato do mundo é uma boa noticia para o desporto motorizado na China”.

O piloto da Citröen Yvan Muller estava “Satisfeito com o pódio, pois não podia esperar muito mais. Perdi mais alguns pontos para o Lopez, mas nada está decidido. Ontem, senti vibrações na qualificação e não tive condições para lutar pela ‘pole’, mas são situações do desporto motorizado. Andei o mais depressa que pude, mas o Ma foi mais rápido e mereceu a vitória”.

Já Gabriele Tarquini confessou que “Ontem perguntei se queriam que largasse da ‘pole’ para a segunda corrida, porque bastava fazer uma volta devagar, mas disseram-me que não e que tentasse chegar à Q3. Este fim-de-semana tive, talvez, o melhor carro da temporada e consegui um bom resultado. Tive sorte, quando o Tiago teve o acidente, porque estava ao seu lado e depois ataquei os Lada, porque não tinha nada a perder. Nestes circuitos, que não têm longas rectas, os nossos carros são bons e podemos fazer um jogo mais igual aos dos Citröen”.

O piloto português Tiago Monteiro ficou com “Um sentimento de frustração, porque o pódio era possível e porque perdi pontos no campeonato. Na partida da segunda corrida meti-me pelo único sitio, por onde podia tentar passar, mas os Lada apertaram-me, tive o azar de as rodas terem tocado e foi impossível evitar o acidente. Agora vamos testar, com o pensamento na próxima corrida, que é no Japão”.

Classificação:

1.º, Ma Quin Hua (Citroen C-Elysée), 11 voltas (52,305 km), em 26.44,910 (140,3 km/h);

2.º, Yvan Muller (Citroen C-Elysée), a 5,573 s.;

3.º, Gabriele Tarquini (Honda Civic), a 10,812 s. ;

4.º Norbert Michelisz (Honda Civic), a 11,982 s.;

5.º, Jose Maria Lopez (Citroen C-Elysée), a 12,432 s.;

6.º, Nick Catsburg (Lada Vesta), a 15,1877 s.;

7.º Hugo Valente (Chevrolet Cruze), a 15,639 s.;

8.º, Nestor Gerolami (Honda Civic), a 16,060 s.;

9.º Robert Huff (Lada Vesta), a 16,669 s.;

10.º, Mehdi Bennani (Citroen CElysée), a 17,174.

Classificaram-se mais cinco pilotos.

Classificação do WTCC, depois da prova portuguesa

1.º, Jose Maria Lopez, 322 pontos;

2.º, Yvan Muller, 269;

3.º, Sébastienn Loeb, 240 ;

4.º, Ma Qing Hua, 146;

5.º, Norbert Michelisz, 142;

6.º, Gabriele Tarquini, 138;

7.º, Tiago Monteiro, 124;

8.º, Tom Chilton, 76;

9.º, Hugo Valente, 73;

10.º, Robert Huff, 58.

Estão classificados mais 14 pilotos.

Imagem de capa: @World

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos