Homens correm mais risco ao volante do que as mulheres

A tendência dos homens correrem mais riscos do que as mulheres ao volante parece confirma-se, segundo um novo estudo sobre a segurança rodoviária realizado pelo fabricante de pneus Goodyear.

O inquérito concentrou-se nas atitudes dos pais de condutores inexperientes para com a segurança rodoviária. O estudo mostra que entre os condutores europeus, os pais turcos e romenos têm maior probabilidade de serem penalizados por excesso de velocidade do que as mães. Na Roménia, 29% dos pais tinham sido apanhados em excesso de velocidade em comparação com 7% das mães. Os números são semelhantes na Turquia (28% dos pais em comparação com 6% das mães).

Na Áustria, Finlândia, Dinamarca e Rússia, a probabilidade dos pais de jovens condutores inexperientes serem penalizados por excesso de velocidade é duas vezes superior do que as mães. A média da União Europeia (UE) é de 24% dos homens em comparação com 18% das muheres[1].

Contrariando esta tendência, as condutoras belgas correm mais riscos do que os homens. Quase um terço das mulheres belgas (30%) entrevistadas admitiu ter cometido excessos de velocidade em comparação com 28% dos homens.

A pesquisa da Goodyear baseia-se num inquérito abrangente realizado junto de mais de 6.800 pais de condutores inexperientes (na faixa etária dos 16-25) em 19 países. Esta pesquisa teve por objetivo compreender melhor as atitudes dos pais em relação à segurança rodoviária, tanto no que diz respeito no estabelecimento de exemplo como condutores, bem como no modo como apoiam os filhos que estão a aprender a conduzir.

Segundo a pesquisa realizada anteriormente pela Goodyear junto de condutores inexperientes e instrutores de condução, os jovens homens são também mais propensos a cometer excessos de velocidade do que as jovens mulheres (70% vs. 62%). Os instrutores de condução parecem estar cientes deste comportamento, e a maioria destes instrutores da EU (52%) concorda que a cultura ocidental glorifica a condução rápida como um sinal de masculinidade.

As mulheres são menos confiantes do que os homens na estrada

Existe uma enorme variação entre os sexos no que diz respeito à manutenção dos pneus: 20% das mulheres não se sente confiante em mudar um pneu furado em comparação com apenas 2% dos homens. Embora isto possa ser explicado em parte pelas diferentes em termos de capacidades físicas, existe também uma maior probabilidade dos homens serem mais confiantes na condução em condições climatéricas adversas (24% vs. 13%).

Os novos dados da Goodyear acerca das atitudes e comportamento dos pais em relação à segurança rodoviária têm como ponto de partida o trabalho realizado em anos anteriores, que abrangeu as atitudes dos jovens em relação à condução e segurança rodoviária (2012) e as dos instrutores de condução (2013), num estudo que envolveu diversas instituições ligadas ao fenómeno automóvel e à condução.

estatic

Mais artigos em Notícias